BOLA CHEIA - 11/02/2019

BOLA CHEIA
 
Estreando na Copa do Brasil o Santos foi ao Piaui, enfrentou o Altos, de futebol muito baixo, onde a unica novidade foi o fato de sair perdendo por 1x0, para depois acordar e fazer nada menos que 7x1. Assim é a Copa do Brasil em suas fases iniciais, nos mostrando equipes sem nenhuma condição. No dia anterior o River, também do Piaui, já havia levado de 5x0 do Fluminense.
 
Se Santos e Fluminense enfrentaram equipes sem condição e golearam, o Corinthians "agradece a Deus" o empate e a classificação. Conseguiu a duras penas um empate por dois gols contra o bom (surpreendentemente) Ferroviario, do Ceará. Mesmo com mais posse de bola foi ruim o futebol do Timão com uma zaga falhando constantemente, meio campo sem nenhuma inspiração, e somente Gustagol para resolver com seus dois gols. Classificou saindo vaiado de campo. Cumprimente-se á equipe cearense, modesta mas bem armada, bons destaques individuais e se seu goleiro não tem uma infelicidade deixaria o Timão de fora da competição.
Paulo Roberto Alves Junior (Paraná) não foi um bom árbitro, com erros tecnicos e disciplinares mas sem participaçao direta no resultado final. Poucos erros técnicos e "medo" de aplicar Cartões Amarelos definem sua participação na partida. Já diziamos no Brasileiro passado e reafirmamos nossa impressão: é árbitro somente para pequenos jogos.
 
E pelo Paulistão Santos e Mirassol fizeram uma partida agradavel de ser assistida e basicamente com o Peixe atacando e o Mirassol se defendendo, mas com muita consciência e determinação. Nos ataques santistas alguns gols perdidos, especialmente um incrível em conclusão de Soteldo. Poucas chances dos interioranos com o goleiro santista pouco incomodado. E quando tudo parecia consolidado, Jean Mota, já com o tempo de acréscimo superado acaba marcando o gol da vitoria do time das praias. Um verdadeiro castigo, e até imerecido da equipe amarela. "59,60" (vixe) minutos de bola rolando. 3 Cartões Amarelos (1 a 2), 28 faltas (15 a 13).
Desta vez não gostamos da arbitragem de Douglas Marques das Flores que não reeditou atuações anteriores e cometendo erros de ordem técnica e disciplinar, deixando de marcar infrações, trocando Tiro de Canto por Tiro de Meta e na sua responsabilidade direta, se omitindo na aplicação de Cartões Amarelos necessarios. Teve ainda a infelicidade de deixar o jogo seguir após o acréscimo determinado e sair o gol da vitória santista. Normal o trabalho de Alex Ang Ribeiro e Marco Antonio de Andrade Motta Junior.
 
 
"GOSTO QUE ME DIGAM A VERDADE... EU DECIDO SE ELA DOI OU NÃO.
 

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua do Bosque, 1904

01136001

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua do Bosque, 1904
Mauá,SP   01136001
Work:11 3392-5440