bola murcha - 18/02/2019

bola murcha
 
Ao que tudo indica, infelizmente, mais um dos maiores jogadores deste país poderá ter um fim de vida muito triste e nos fazer relembrar o fim de vida de Garrincha. Adriano Imperador pelo que se sabe caminha rapidamente para esse fim. Tem vendido constantemente suas propriedades, móveis e imóveis, tanto adquiridas no Brasil como na Italia. O dinheiro não entra mais, mas faz questão de continuar esbanjar com mulheres, amigos da Vila Cruzeiro e festas infindáveis.
 
E na quarta feira o que a maioria imaginava, menos alguns fanaticos tricolores, acabou se concretizando no Morumbi perante aproximados 45.000 torcedores. São Paulo 0 x 0 Talleres jogaram novamente um ex vencedor em time comum e sem brilho. Leco? Jardine? Rai? Jogadores? De quem é  culpa maior? De todos. Um pouco de cada um... Desta feita uma correria desenfreda, cada um querendo mostrar mais que o companheiro, não foi em momento algum um time rapido, incisivo, organizado. Lembrou-nos uma piada que se fazia no passado com Mirandinha (Palmeiras), um velocista, que não conseguia correr e pensar ao mesmo tempo. Ou fazia uma coisa ou outra. E foi assim, figurativamente, que vimos o glorioso Tricolor despencar novamente numa competição, agora contra o Talleres de Cordoba. Culpados? Claro que somente vai "existir" um: Jardini. Não expressaremos  de que forma vimos a atuação da equipe, resumindo-a: É cada um para sí como se futebol não fosse um esporte coletivo...
Muito bom trabalho do árbitro Rudy Zambrano, falhando um pouco somente na não aplicação de alguns Cartões Amarelos.
 
Amadorismo puro no Tricolor: André Jardine é demitido mas vai continuar no Clube. Cuca é contratado, mas por problemas médicos somente pode assumir em Abril. Wagner Mancini é hoje o NOVO treinador. (??????) Péra ai: Um é mandado embora mas FICA no Clube, outro ASSUME e não pode trabalhar, e aquele que dizia que JAMAIS assumiria é agora o Treinador. Se Mancini for pior que Jardine, vai ficar até Abril? Mas e se ele ir ganhando todas, acertando a equipe, sai em Abril? Imaginem o absurdo: São Paulo nas finais do Paulistão e treinador é sacado, ou São Paulo quase rebaixado (dificil, mas...) e ai entra o...CUCA? Nem Monteiro Lobato entenderia...
 
Outro que não anda bem das pernas é o Corinthians que mesmo jogando melhor em relação ás ultimas partidas, mas ainda lento e desorganizado tropeçou novamente dentro de Itaquera, complicou-se na Sulamericana e dificilmente passará de fase. Muito melhor o Racing, uma equipe já montada, jogando um futebol  solidario entre suas linhas, e que somente não venceu devido um gol levado a um minuto do final, aliás, mais um por mérito do surpreendente Gustagol. A necessidade da vitoria era premente, correu, lutou, mas não foi o competente necessário para ir com vantagem para a Argentina e voltar classificado. Diga-se porém que Vagner Love marcando lateral adversário é piada de mau gosto e não faz sentido. Arbitragem de Victor Carillo, anulando gol do Racing por impedimento, e na ação correta de seu auxiliar, não marcou penalidade maxima reclamada pelo Corinthians por toque de mão, em lance que muitos marcariam, errou na aplicação de Cartão Amarelo para Ramiro.
 
Ferroviaria e Palmeiras fizeram uma partida de baixa qualidade, menos pela Ferrinha que pelo Verdão que aliás continua a não jogar o que o investimento feito exige. Primeiro tempo com os locais propondo o jogo, tendo mais a posse de bola apesar de arematar menos a gol, e somente exigir em uma aoportunidade. Segundo tempo pouco melhor das equipes mas ainda longe do que poderiam ou deveriam apresentar. Naquele que mais ficou devendo vimos um meio campo sem nenhuma criatividade, Felipe Melo "plantado" defensivamente, Buno Henrique longe de seus melhores momentos e também muito atrás, e a dispersividade de Lucas Lima a quem se entrega a responsabilidade maior na criação. E Borja, dizer-se o que? O "oxo" nesta partida foi o retrato fiel do que apresentou aquele que tinha a obrigação maior. Já está na hora deste Verdão começar a jogar um pouco mais. Um unico Cartão Amarelo (Ferroviaria), 26 faltas ( 12 a 14) e 61 minutos de jogo efetivo.
 
Arbitragem normal e correta de Douglas Marques das Flores, excelente trabalho de Bruno Salgado Rizzo, muito acionado e acertando sempre, inclusive em lance dificilimo envolvendo Borja e um erro na atuação de Marco Antonio Andrade Motta Junior em impedimento marcado do Palmeiras, e inexistente.
 
E fechando a semana mais uma partida jogada com determinação, mas de qualidade muito abaixo do que se poderia esperar num classico como Corinthians x São Paulo. Aqui também entrega e determinação dos atletas, mas de muito má qualidade técnica, erros e acertos da arbitragem, enfim um retrato legitimo de a quanto anda nosso combalido futebol. Corinthians 2x1 São Paulo será muito discutido nas mesas redondas e não se pode falar em injustiças. Como imaginar-se o que aconteceria se os erros e acerto da arbitragem não tivessem existido? Lance que antecedeu primeiro gol do Timão a bola saiu pela linha de fundo e tiro de meta e não tiro de canto marcado não resultaria em gol. Gol anulado do São Paulo foi o acerto acima destacado da arbitragem. Gol validado do São Paulo foi irregular na sua origem: Se a falta de Antony em Avelar fosse marcada não aconteceria o gol Tricolor. Numa partida como esta, com o observado acima, como tentar "adivinhar" se um resultado seria justo ou não? Cinco Cartões Amarelos ( 2 a 3), 26 faltas marcadas (12 a 14) e 60 minutos de jogo efetivo.
 
Lucas Caneto Belloti arbitrou, errou e acertou, e já destacamos  nossa opinião, porém apresentou problemas de colocação e movimentação, "passeando" demais á frente da linha da bola, não abriu sua diagonal quando necessário, perdeu a chance de um Cartão Amarelo logo de inicio por agarrão e puxão pelo calção de jogador tricolor, e que se não fosse inicio obrigatoriamente iria aplicar, não viu (posicionamento) bola saindo pela linha de fundo, não viu empurrão nas costas de Avelar, viu toque de mão de Carneiro e anulou gol tricolor. Não houveram indisciplinas e se portou normalmente. Emerson Augusto de Carvalho poderia ter auxiiado na bola que saiu pela linha de fundo, mas acertou indicando a bola que entrou em gol corintiano. Normal trabalho de Daniel Luis Marques. Entendemos que renovar é preciso, mas existem momentos e momentos para se lançar árbitros e o momento de Corinthians e São Paulo talvez não fosse um deles. Respeitamos a decisão mas, opinativamente não fariamos. E não estamos aqui culpando-o pelos relatos acima, na sua maioria polemicos e de grande dificuldade.
 
 
 
"SE VOCÊ NÃO LUTAR POR ALGUMA COISA, SERÁ VENCIDO POR QUALQUER COISA..."

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua do Bosque, 1904

01136001

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua do Bosque, 1904
Mauá,SP   01136001
Work:11 3392-5440