Regras em 1916 (Oitava Parte)

Para o jogo de foot-ball associação
Traduzidas do original inglez pelo Dr. Mario Cardim
Revistas pelo Snr. Charles Miller


TEXTO DAS REGRAS

9ª. REGRA


A RASTEIRA, O PONTA-PÉ, ETC.

Não é permitido a jogador algum passar rasteira, dar ponta-pés ou pular sobre o adversário.

O USO DAS MÃOS

Nenhum jogador póde tocar a bola com as mãos intencionalmente a excepção do goal-keeper, na sua área de penalidade. Não é permitido também fazer uso das mãos para segurar ou empurrar um adversário.

A CHARGE

A charge é permitida, mas não de modo violento ou perigoso. Nenhum jogador póde empurrar um adversário pelas costas, salvo quando estiver intencionalmente impedindo um adversário.

                                                COMMENTARIOS PARA A REGRA 9ª.

Rasteira chama-se a perigosa practica de abaixar-se á frente ou atraz de um adversário para fazel-o cahir, ou derrubá-lo propositalmente com as pernas. No caso de uma rasteira, o juiz deverá parar o jogo e admoestar o infractor, ou conceder um ponta-pé livre do logar onde se deu a infracção, ou então tomar ambas as providencias se julgar conveniente. Nenhum club deverá consentir na permanência de um infractor reincidente.
Pular sobre um jogador é sempre proposital.
Tocar a bola com as mãos ou com os braços intencionalmente chama-se “handling”, devendo o juiz fazer distincção entre o handling intencional e não intencional. Segundo uma decisão do Conselho Internacional de 8 de Junho de 1912, os casos de handling, assim como os “trippings” (fazer-cahir), “pushing” (empurrar), “kicking” (bater), “holding” (segurar) e “charging” por detraz, sendo pelo juiz considerado involuntários, não constituem infracções á regra.
Si um jogador, sendo atacado, se virar de modo a enfrentar seu próprio goal, ou ainda, si estiver positivamente sciente de que será atacado, será propositalmente impedindo, pelo que poderá ser empurrado pelas costas (Conselho Internacional, decisão de 8 de Julho de 1907).
Não será considerado offensa de empurrar pelas costas, quando um jogador, ao jogar a bola, tocar por detraz um adversario sem ter a intenção de dar a charge.
Um jogador poderá ser empurrado pelas costas somente quando estiver intencionalmente impedindo um outro, qualquer que seja sua posição em relação ao seu próprio goal, mas a charge nunca deverá ser tal que possa machucal-o.


São Paulo Março de 1916


NA PROXIMA SEMANA ABORDAREMOS AS REGRAS 10ª. E 11ª.


Obs. Os textos foram reproduzidos do “GUIA UNIVERSAL DE FOOTBALL ASSOCIAÇÃO editado em Março de 1916 e a ortografia utilizada é a original da época.


Gustavo Caetano Rogério
 
Leia mais
  1. Regras em 1916 (Parte Final)
  2. Regras em 1916 (Penúltima parte)
  3. Regras em 1916 (Décima Parte)
  4. Regras em 1916 (Nona Parte)
  5. Regras em 1916 (Sétima Parte)
  6. Regras em 1916 (Sexta Parte)
  7. Regras em 1916 (Quinta Parte)
  8. Regras em 1916 (Quarta Parte)
  9. Regras em 1916 (Terceira Parte)
  10. Regra em 1916 (Segunda Parte)
  11. Regra em 1916 (Primeira Parte)

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua do Bosque, 1904

01136001

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua do Bosque, 1904
Mauá,SP   01136001
Work:11 3392-5440