Regras em 1916 (Nona Parte)

Para o jogo de foot-ball associação
Traduzidas do original inglês pelo Dr. Mario Cardim
Revistas pelo Snr. Charles Miller


TEXTO DAS REGRAS


10ª. REGRA

O FREE-KICK (Ponta-pé livre)

Quando um ponta-pé livre for concedido, os adversários do jogador que o tiver de dar não se poderão approximar da bola a uma distancia menos que 9,15m (10 yardas) salvo quando estiverem na linha de seu goal.
Para que a bola possa ser considerada em jogo é necessário que dê uma volta ou ande uma distancia igual á de sua circunferência.
O jogador do ponta-pé livre não pode tocar de novo na bola sem que primeiramente o tenha feito qualquer outro jogador.
O ponta-pé inicial (salvo o caso previsto pela regra 2ª.), o ponta-pé do canto e o goal-kick são considerados ponta-pés livres no sentido desta regra.


COMMENTARIOS PARA A REGRA 10ª.

O ponta-pé livre deve ser tirado do logar próprio, e sem demora quando o juiz der o respectivo signal com o apito. Recommenda-se aos juizes evitarem perdas de tempo, sendo quaesquer delongas consideradas máo comportammento de toda a gravidade (Conselho Internacional, Dezembro 19l0).
Os juizes devem exigir que os jogadores adversarios fiquem a distancia exigida da bola, quando se tirar um free-kick. Alguns costumam collocar-se numa distancia de 5,48m (6 yardas), o que não é licito.


11ª. REGRA

O GOAL E O FREE-KICK (Ponta-pé livre)

Pode ser feito um goal de um ponta-pé livre, mas só quando este for concedido em virtude de infração á regra 9ª., não porém, em conseqüência de outro qualquer ponta-pé livre.

COMMENTARIOS PARA A REGRA 11ª.

Portanto, um goal pode ser feito directamente de um ponta-pé livre concedido por causa de rasteira, pulo sobre um adversário, empurrões pelas costas, charges violentas ou uso das mãos e braços.
Um goal não pode ser feito directamente de um ponta-pé inicial, ponta-pé de canto ou de um ponta-pé livre concedido nos casos seguintes:

a) Si alguém joga a bola outra vez, antes que tenha sido tocada por outro, depois de um “throw-in”, depois de tirar um ponta-pé livre ou ponta-pé de penalidade.
b) Off-side;
c) O goal-keeper carregar a bola mais de 2 passos.
d) Dar charge no goal-keeper em occasião imprópria, sendo a charge leal;
e) Jogar a bola, quando o juiz deixa cahir, antes que ella toque no chão;
f) Jogar a bola para o lado em vez de a jogar para a frente, quando tirar um ponta-pé de penalidade;
g) “Throw-in” incorrecto;
h) Jogo perigoso.

São Paulo Março de 1916

NA PROXIMA SEMANA ABORDAREMOS AS REGRAS 12ª. E 13ª.


Obs. Os textos foram reproduzidos do “GUIA UNIVERSAL DE FOOTBALL ASSOCIAÇÃO” editado em Março de 1916 e a ortografia utilizada é a original da época.


Gustavo Caetano Rogério
 

Leia mais
  1. Regras em 1916 (Parte Final)
  2. Regras em 1916 (Penúltima parte)
  3. Regras em 1916 (Décima Parte)
  4. Regras em 1916 (Oitava Parte)
  5. Regras em 1916 (Sétima Parte)
  6. Regras em 1916 (Sexta Parte)
  7. Regras em 1916 (Quinta Parte)
  8. Regras em 1916 (Quarta Parte)
  9. Regras em 1916 (Terceira Parte)
  10. Regra em 1916 (Segunda Parte)
  11. Regra em 1916 (Primeira Parte)

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua do Bosque, 1904

01136001

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua do Bosque, 1904
Mauá,SP   01136001
Work:11 3392-5440