Bola Cheia 03-06-2013

Para a premiação das 500 Milhas de Indianápolis: O primeiro lugar render a Tony Kanaan a bagatela de R$ 4.865.796,80. Bia Figueiredo a décima quinta levou R$ 543.638,42, Helio Castro Neves o sexto colocado recebeu R$ 649.033,59, e o ultimo colocado, que bateu e somente deu quatro voltas, recebeu R$ 546.741,32. O total das premiações, em reais, atingiu 25 milhões.

Nenhum trabalho para Cláudio Francisco Lima e Silva (SE) em Asa 0x3 Palmeiras. Nenhuma situação quer seja de ordem técnica, quer seja de ordem disciplinar para que seu potencial fosse testado. Porém destaque negativo é seu posicionamento em campo, á antiga e dos tempos do futebol lento, trabalhando exageradamente á frente da linha da bola, e ficando sempre absurdamente distante quando dos contra ataques. O Assistente Victor Oliveira Cruz foi bem na anulação de gol, do Asa e em toque de mão não observado pelo árbitro, porém ele e seu companheiro Ailton Farias da Silva marcaram dois impedimentos, em situações de gol, e erraram em ambos.

Vamos lá, Oscar, tu tens Mão Santa e vai sair dessa. Torcemos por você.

Bom trabalho de Jailson Macedo Freitas (BA) em Botafogo 2x1 Santos. Nenhuma polemica na partida e nenhuma indisciplina permitiram uma arbitragem sem contestações.

Fica na bola cheia, mas não nos agradou totalmente o trabalho de Rodrigo Nunes de Sá (RJ) no Goiás 1x1 Corinthians. Critérios não bem definidos, alguma complacência nos aspectos disciplinares em um jogo que ate teve alguns lances mais ríspidos. Sete impedimentos do Goiás no primeiro tempo e, no mais importante errou Wagner Almeida Santos invalidando lance com conclusão em gol da equipe local.

Nenhuma dificuldade e partida sem maior grau de dificuldade teve Raphael Claus em Internacional 2x0 Criciúma. Errou somente na escolha do uniforme. Quem andou vacilando foi Ricardo Pavaneli Lanutto que “bobeou” em situações de impedimento.

A sofrida, mas merecida classificação do Atlético Mineiro frente ao valente Tijuana, raciocine conosco, valorizou incrivelmente a participação do Palmeiras na competição.
Ai vem o América Mineiro e chama a gente de mentiroso... rsrs

Muito bem Marcelo de Lima Henrique em Santos 1x1 Grêmio. Seu Assistente Fabrício Vilarinho da Silva (GO) quase joga tudo por terra ao não marcar, quase ao final, um impedimento clamoroso do ataque do Grêmio, e numa situação clara de gol. Um Assistente FIFA não pode se dar ao direito de um erro grosseiro como este.

Muito boa também a arbitragem do motivado Heber Roberto Lopes no Vitória 2x0 Vasco da Gama. Aqui também o seu Assistente Jose Roberto Larroyd (SC) foi o responsável pela anulação de gol legitimo do Vasco e com a partida ainda no 1x0.

Também Rodrigo Guarizzo Ferreira Amaral não teve maiores problemas para conduzir Corinthians 1x0 Ponte Preta. Decisões claras e oportunas e nenhuma polêmica. Merece e é o momento de crescer.

Será que o Felipão vai aprender de agora em diante que Paulinho não é primeiro volante e não pode “ficar preso” lá atrás? Não adianta convocar os melhores e inventar novas posições para eles.




UMA FRASE DIZ QUE DEVEMOS AMAR NOSSOS INIMIGOS, MAS NÃO FALA NADA A RESPEITO DOS IDIOTAS...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440