Marcelo Rogério

Apresente-se: Nome, data de nascimento, filiação, natural de onde.
Marcelo Rogério, 10/10/71, Neuza Gerônimo Rogério e Gustavo Caetano Rogério, São Paulo-Capital.

Qual seu prato preferido e uma atividade de lazer preferida?
Arroz, feijão e frango ao molho.
Correr e Pescarias.

Qual seu ano de formação e alguns colegas de turma?
1998. Ana Paula Oliveira, Wilson Luis Seneme, Mauricio Antonio Fioretti, Carlos Augusto Nogueira Junior, Flavio Alexandre Silveira, Reinaldo Rodrigues dos Santos, Antonio Claudio Perin, Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, Marcelo Alfieri.

O que lhe motivou fazer curso de arbitragem?
Acompanhava meu pai em palestras a clubes e imprensa e foi quando resolvi fazer o curso, mas somente para maior conhecimento, não imaginando até aqui que seguiria carreira.

Qual foi, se é que lembra, sua primeira escala?
Tenho anotação de todos os meus jogos. O primeiro bandeirando foi Santos x São Caetano em 15/8/98 e apitando foi Palmeiras x União Mogi em 15/8/98 em categorias de base.


Ainda na EAFI imaginava chegar aonde chegou?
Como já disse não imaginava seguir carreira, e ao decidir seguir enxerguei que poderia chegar sim.

Alguma partida ficou marcada para você?
Foram varias, pois quando se apita uma final é sempre especial e fica marcada. Fiz finais nas categorias Infantis e Juvenis, Juniores da 1ª. E 2ª. Divisão, Taça São Paulo de Juniores, Segunda Divisão, Serie A3, Série A2, além de Semi Final da A1 e Final como Árbitro Adicional. E é claro que o primeiro Corinthians x Palmeiras ninguém esquece.

Tem idéia de quantas partidas já arbitrou?
Somente computando partidas oficiais pela FPF, como arbitro central, já são 397. Pela CBF foram 15 totalizando 412 arbitragens. 94 reservas pela CBF e 20 pela FPF, além, de 13 como Arbitro Adicional. Considerando por quantidade de escalas, totalizam: 539 jogos.

Tem algum fato engraçado de alguma partida?
Apitando XV Caraguá e Tupã o presidente deste invadiu o campo dizendo: “Moro no mesmo prédio do Sr. Gustavo e não saio da casa dele. Você não apita nunca mais.”
Somente respondi: “É mesmo? Ele é meu pai e nunca te vi na minha casa”.
Outra foi em Birigui. Um senhor veio em minha direção antes da partida dizendo: “Bom dia Marcelo. Estive com o Sr. Gustavo e pedi um arbitro de personalidade.”. Para este respondi: “Desculpe, mas ele é meu pai e deixou a Federação há seis meses”.
Imaginaram as cenas?

Qual sua maior satisfação na arbitragem?
Ter meu pai como meu formador e ser um árbitro honesto e de caráter.

Qual sua maior decepção na arbitragem?
Ter sido vitima de uma armação, fruto de pessoas maldosas e que impediram minha carreira em nível nacional. Fui sacado do Quadro Nacional por uma canetada nojenta por simples demonstração de poder. Mas, aqui se faz aqui se paga.

O que lhe motivou a continuar após esse fato?
O amor adquirido a arbitragem, que é coisa muito seria, e o detalhe de que nunca vou me curvar a essas pessoas. Esperavam que eu parasse, mas me motivaram muito mais.

Quais as maiores dificuldades na carreira de um árbitro?
Conciliar seu trabalho com as palestras, os treinos e os jogos. Porém a maior é a falta de seqüência nas escalas quebrando seu ritmo.

Sorteio ou escala direta?
Escala direta. No sorteio você fica ás vezes mais de mês sem escala e aí sua bolinha cai para um clássico. É complicado isso.

Mais regras, mais administração, ou cada jogo é um jogo?
Tudo é um conjunto, mas cada jogo é um jogo.

Estudar as equipes que vai arbitrar é valido ou pode prejudicar?
Costumo estudar as equipes e características dos jogadores e entendo válido. Meu posicionamento, por exemplo, é definido após estudar de que forma as equipes saem para armar seus ataques.(lado do campo, com que jogador, tocando a bola ou lançando, etc.)

Melhor a orientação jogo a jogo, ou uma única para todos os jogos?
Quando se pode ter, melhor é orientação jogo a jogo. Tanto para o próximo como para as correções do anterior.

O que aconselharia a um árbitro iniciante?
Antes de qualquer coisa que tenha personalidade, honestidade, treinar e se dedicar aos treinos, estudar as regras constantemente, fazer uma analise jogo a jogo e ser persistente. E no meio, saber separar o joio do trigo.

Ao jubilar encerra a carreira ou tem planos para continuar?
Ao jubilar gostaria de estar no meio. Quem ama a arbitragem não consegue ficar longe.

Conclua da maneira que quiser sua entrevista:
Somente para dizer que para arbitrar é necessário ser uma pessoa honesta, HOMEM, pois a arbitragem passa, mas o HOMEM continua ate o fim de nossas vidas.
Leia mais
  1. ENTREVISTADO DO MÊS ENTREVISTADO DO MÊS
  2. Entrevistado do Mês - Abril - 2017 Entrevistado do Mês - Abril - 2017
  3. ENTREVISTADO DO MÊS - FEVEREIRO ENTREVISTADO DO MÊS - FEVEREIRO
  4. ENTREVISTADO DO MÊS - JANEIRO
  5. RENATA RUEL XAVIER DE BRITO RENATA RUEL XAVIER DE BRITO
  6. Entrevistado do mês Outubro
  7. Marcelo Leite de Carvalho Marcelo Leite de Carvalho
  8. Roney Prado Bustamente Roney Prado Bustamente
  9. ADRIANA DE ALMEIDA SILVA ADRIANA DE ALMEIDA SILVA
  10. Fevereiro 2016 Fevereiro 2016
  11. Janeiro 2016 Janeiro 2016
  12. Entrevistado do Mês: Nelson Izidoro De Almeida Junior
  13. Entrevistado do Mês: Leandro Carvalho Entrevistado do Mês: Leandro Carvalho
  14. Entrevistado do Mês: JOSÉ CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA Entrevistado do Mês: JOSÉ CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA
  15. Entrevistado do Mês - Agosto Entrevistado do Mês - Agosto
  16. Entrevistado do Mês - Julho Entrevistado do Mês - Julho
  17. Entrevistado do Mês - Junho Entrevistado do Mês - Junho
  18. Entrevistado do Mês - Maio Entrevistado do Mês - Maio
  19. ENTREVISTADA DO MÊS DE ABRIL - MARCIA FERNANDES ENTREVISTADA DO MÊS DE ABRIL - MARCIA FERNANDES
  20. Entrevistado do Mês - Março Entrevistado do Mês - Março
  21. Entrevistado do Mês - Fevereiro Entrevistado do Mês - Fevereiro
  22. Entrevistado do Mês - Janeiro Entrevistado do Mês - Janeiro
  23. Cleber Wellington Abade Cleber Wellington Abade
  24. Regildenia Regildenia
  25. Robson Ferreira Oliveira Robson Ferreira Oliveira
  26. Marcio Luis Augusto Marcio Luis Augusto
  27. Raphael Claus Raphael Claus
  28. Vladimir Vassoler Vladimir Vassoler
  29. Emidio M. de Mesquita Emidio M. de Mesquita
  30. Marcelo C. Van Gasse Marcelo C. Van Gasse
  31. Bruno Salgado Rizo Bruno Salgado Rizo
  32. Sérgio Ferreira Leandro Sérgio Ferreira Leandro
  33. Graziele Crizol Graziele Crizol
  34. Rodrigo D Alonso Ferreira Rodrigo D Alonso Ferreira
  35. Oscar Roberto Godoi Oscar Roberto Godoi
  36. Marcelo Ap. Ribeiro De Souza Marcelo Ap. Ribeiro De Souza
  37. Guilherme Ceretta Guilherme Ceretta
  38. Emerson A. de Carvalho Emerson A. de Carvalho
  39. Edie Mauro Garcia Detofoli Edie Mauro Garcia Detofoli
  40. Gustavo Caetano Rogério Gustavo Caetano Rogério
  41. Hélio Ricardo de Araújo Marmo Hélio Ricardo de Araújo Marmo
  42. Wilson Luiz Seneme Wilson Luiz Seneme
  43. Lohan Alves Dos Santos Lohan Alves Dos Santos
  44. Cristina Mara Cardoso Cristina Mara Cardoso
  45. Fabio Luiz Florindo Fabio Luiz Florindo
  46. Salvio.S. Fagundes Filho Salvio.S. Fagundes Filho
  47. Arthur Alves Junior Arthur Alves Junior
  48. Marcos Paulo Feltrim Marcos Paulo Feltrim
  49. Nilson Toda Lucas Vidal Nilson Toda Lucas Vidal
  50. Wagner Ap. Rizo Wagner Ap. Rizo
Anterior 1 2 Próximo

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440