BOLA MURCHA - 09-09

Na partida entre Coritiba e Internacional mais um fato nos mostra a falta de interesse, ou condição, dos Generais do apito brasileiro: Paulo Alves Junior foi o Quarto Arbitro da partida, mas até aí tudo bem, pois esta função geralmente é executada por um árbitro local. Só que ele é filho de Paulo Roberto Alves que é “somente” o Supervisor de futebol do Coritiba. Viva o “oba oba”, e dane-se a arbitragem.
 
Vai para Raphael Claus na partida Paysandu 2x0 Sport onde seus erros interferiram diretamente no resultado final. Penalidade máxima para o Sport não marcada e penalidade máxima, não existente, marcada para o Paysandu, Se me entenderem, “devagar com o andor que o santo é de barro”. Já escrevemos aqui que árbitros ainda em formação, não totalmente afirmados, não podem ter a super exposição que Raphael Claus vem tendo. Corre-se o risco de se perder um bom árbitro, o que vem acontecendo com a maioria dos jovens mais promissores nos últimos tempos.
 
Mais um gol marcado e a partir da cobrança de arremesso lateral irregular. A pratica está avançando e ninguém está nem ai. Agora foi em Guaratinguetá 2x0 Atlético Goianiense. A bola esta sendo “jogada” com somente uma das mãos e já é o terceiro gol, nestas condições, que vimos semana passada.
 
Conforme o Blog do Godoi, mais dois árbitros trapalhões na semana que passou: Dewson Fernando Freitas, na partida entre Figueirense 2x1 Bragantino e Edmar Campos Encarnação, que fez “chover” em Oeste 4x1 América.
Não vimos tais partidas, mas curiosos, fomos pesquisar: O primeiro é Aspirante FIFA e o segundo é CBF 1. Mas como a festa continua, saibam que enviar um árbitro do Amazonas ao sul, e outro do Pará ao sudeste, era absolutamente necessário para mostrar o trabalho da “renovação” na arbitragem. E o “oba oba” não vale nada? O resto é o resto, e que se dane o resto. Até Escola que já existia há quase vinte anos, o “oba oba” conseguiu fundar novamente, aliás com o mesmo nome de sua “real” fundação...
Detalhe: um dos árbitros “trapalhões”, segundo Godoi, foi premiado neste final de semana e apareceu, diríamos agraciado, com escala na Serie A em Criciúma x Botafogo. Foi trapalhão em Santa Catarina no Figueirense x Bragantino e foi “exposto” novamente em Santa Catarina, mas aqui se houve bem na partida.
 
Já diziam os mestres de arbitragem no passado que, árbitro comum é para jogo comum, e se estiver em jogo incomum tudo pode acontecer. Paulo Henrique Godoy Bezerra é e foi assim em Internacional 1x0 Corinthians, Foi salvo pelo Adicional Fabio Filipus no gol anulado do Internacional, e que ele já havia confirmado como legal, não se dando conta (arbitro comum) de que o Corinthians estava sem goleiro quando do chute a gol. Se foi falta em Cássio ou não é interpretação, mas uma partida não pode iniciar ou continuar sem um goleiro participando do jogo. Indiretamente decidiu a partida ao marcar toque de Douglas quando, claramente, existia bola na mão e não mão na bola. A distancia entre os envolvidos e a velocidade da bola tornava impossível que ele levasse a mão á bola e ele, (árbitro comum) não fez a correta leitura. Na cobrança da infração, gol da vitória do Internacional. Acertou em não marcar penalidade máxima de Emerson (bola na mão) e na expulsão de Tite.
 
Gilberto Rodrigues de Castro Junior, repetimos aqui o que destacamos semana passada: Guardem bem este nome. É o mesmo da péssima arbitragem de Palmeiras x Paysandu, é o mesmo da penalidade máxima absurda marcada para o São Caetano, e pasmem, é o mesmo que a CA/CBF, conforme alguns, é um dos nomes em quem mais colocam fé no futuro. Mais um “Chicão” da arbitragem e “jabá” de quem?
 
No sábado a lambança foi em Grêmio 3x2 Portuguesa. Pobre Lusa. Perdia por 2x0, foi buscar o empate que lhe seria importante, mas eis que, ele, Jailson Macedo resolve aprontar nos minutos finais da partida. Penalidade máxima, para nós inexistente, a favor do Grêmio. Batedor coloca a bola totalmente fora da marca penal jogadores reclamam e Bruninho, por isto, é expulso. Confusão e mais uma expulsão da Lusa e desta vez Waldomiro. E o pior: a penalidade foi cobrada com a bola fora da marca e na cara de Jailson. Detalhe: O Grêmio também teve gol mal anulado por impedimento. Salve, salve arbitragem nacional. E olha que esse é ruim faz tempo. Gostaríamos que as ações do Arbitro Reserva local, Marcio Brum Coruja durante a confusão “dando uma de policia” e depois ao final “cumprimentando efusivamente o policiamento” fosse analisada. Coisa de torcedor Gremista...
 
Os jogadores beneficiários de uma infração podem ficar onde bem entenderem. Os adversários é que devem estar a no mínimo 9,15m. da bola. Demarcar com Spray a distancia regulamentar, e “inventar” outra á frente para os beneficiários ficarem é piada de mau gosto. Aliás, ninguém pode se entender maior que uma partida de futebol, e deve respeitar seja qual for a divisão em que se esteja arbitrando, ok, Sr. Guilherme Cereta de Lima?
 
 
 
TEM GENTE QUE NÃO É CONFIAVEL NEM PARA SE PERGUNTAR AS HORAS...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440