Bola Cheia - 21/10

 Claro que Bola Cheia para a profissão ARBITRO DE FUTEBOL, claro que ele se equipara ás demais profissões, mas se ele não se der o devido respeito, se ele “realmente” não se organizar em associações, se ele somente estiver preocupado com escalas, nada irá mudar. Associações Nacionais e Sindicatos serão os grandes divisores de águas se “efetivamente” negociarem com as Federações e Confederação, mostrando que categorias profissionais devem ter não somente obrigações, mas também seus direitos garantidos, aliás, como todas as existentes. Mas será que o árbitro quer isso mesmo? Até onde interessa ao árbitro, e muitos já são profissionais em outras categorias, serem “profissionais” no apito? Talvez uma minoria da elite até queira, mas e os “trocentos” outros? Continuará a obrigatoriedade de que sejam formados pelas Federações? Se podem organizar-se em Associações, todas as legalmente já formadas terão os mesmos direitos de formação e profissionalização?
Onde começa e onde terminam direitos e deveres de outras Associações e que eventualmente queiram profissionalizar árbitros?
Em resumo, somente o próprio árbitro e suas atitudes o farão ser um profissional, mas muitas perguntas não estão ainda respondidas.
 
Se não foi uma Bola totalmente Cheia, também não foi uma Bola Murcha, Pablo dos Santos Alves em Icasa 1x0 Palmeiras. Primeiro tempo excessivamente faltoso sem que o árbitro procurasse inibi-las com cartões, gol bem anulado do Palmeiras por impedimento e bola na mão e não mão na bola de Guto, dentro de sua área penal não caracterizando infração penal contra o Icasa. Segundo tempo absolutamente igual, mas com erro crasso do assistente em lance com chance de gol para o Icasa, expulsão correta de Juninho, do Palmeiras, mas com muita boa vontade fica na Bola Cheia, porém definitivamente é mais um arbitro comum, e por ser comum corre o risco de ser FIFA NOS “critérios” brasileiros.
 
Arbitragem normal de André Luis Freitas Castro em Santos 0x0 Internacional. Mínimos erros técnicos, porém aplicou pelo menos dois cartões amarelos desnecessários, mas ficou devendo outros. O comportamento dos jogadores e a ausência de lances polêmicos deixaram a partida fácil para sua condução.
 
Pelo menos entre as que vimos, Sandro Meira Ricci fez a melhor arbitragem do Campeonato Brasileiro. Grêmio 1x0 Corinthians foi a partida. Perfeito técnica, física e disciplinarmente.
 
De boa qualidade a arbitragem de Rodrigo Nunes de Sá em Náutico 1x5 Santos. Bem condicionado fisicamente, decisões claras e oportunas, observou bem as vantagens, não teve problemas com indisciplina de jogadores ou comissões técnicas. Lamentável porem a figura física do Assistente 2, do Ceará, Sr. Francisco Rudson Rocha Aquino, Apesar de ter trabalhado bem na partida, não pode um árbitro de Quadro Nacional apresentar-se com a “pança avantajada” e ridícula para a função. Com certeza, entre os mais íntimos deve ser chamado de Gordo ou Bolão...
 
Definitivamente e com as vitórias do final der semana, Corinthians e São Paulo disseram adeus á possibilidade de rebaixamento. A Portuguesa perdeu uma chance de se afastar e a Ponte Preta tem missão quase impossível.
 
 
 
SINTO FALTA DE MUITAS COISAS, MAS ISSO NÃO QUER DIZER QUE AS QUERO DE VOLTA...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440