Entrevistado do mês: Graziele Crizol

arbitragem, onde, ainda, partida, dentro, Esporte, Trabalhava, pela, Clube, André, Silvia, Regina, conheci, assistindo, interesse, Santo, resido, nascimento, Adail, data, civil, estado, Consuelo, solteira, Caetano, Nome, Cidade, setembro, nascida, Como
 

Nome do pai, mãe, estado civil e data do nascimento e onde?

Adail e Consuelo, solteira, nascida em 27 de setembro na Cidade de São Caetano do Sul onde ainda resido. 

Como se deu seu interesse pela arbitragem?

Trabalhava dentro do Esporte Clube Santo André, assistindo uma partida conheci a Silvia Regina que também reside na cidade, conversei com ela e perguntei sobre o curso, ela indicou, fiz e estreei com ela no Pacaembu num jogo festa onde uma das arbitras não pode ir, eu estava na arquibancada e tive que atuar, foi um susto mas depois desse dia eu tive a certeza que queria bandeirar por alguns anos

Seu primeiro curso foi na FPF ou outro e em que ano?

Foi na Federação sim em 2004.

Enquanto aluna o que realmente imaginava ou almejava na arbitragem?

Sempre tive o pé no chão, mesmo porque nunca sonhei em ser FIFA e sempre soube que meu físico era comprometido por conta da ginástica artística que fiz quando pequena. Parei por conta das lesões no joelho.


A primeira escala ninguém esquece. Qual foi a sua?

Em Campinas categoria sub 15, lembro que a arbitra passou para me pegar uma hora depois , quase tive um treco e cheguei mais nervosa ainda..... 

E a partida que gostaria de esquecer? Já existe?

Vixi muitas. , sabe aquele dia que você acorda e diz porque sai de casa, KKK já aconteceu muito comigo. Mas uma que marcou foi a decisão no interior na cidade de Catanduva onde anulei um gol do time da casa que resultou sair correndo da cidade, detalhe meus avós moram em Catanduva e não pude vê - los tive que ir embora escoltada até a estrada. Rsrsrsr.
Me recordo também de outro ocorrido na baixada santista, em um jogo da Portuguesa, primeiro que começou tudo errado , o motorista pegou a gente atrasado, a viagem foi tensa, já estávamos bravos um com os outros, chegando na correria fui fazer a verificação do campo, empurrei o portão e ele voltou na minha testa, bummmmmm, foi eu pro chão e desmaiei , o jogo estava para começar e o árbitro reserva disse que não sabia bandeirar.. kkkkk eu nesse momento sendo atendida pelo SAMU, o árbitro sem saber o que fazer pediu pelo amor de Deus para eu tentar bandeirar, eu dizia estou bem, mas estava completamente doida da cabeça..... kkkkk, tudo girando e o paramédico dizendo para eu ir pro hospital, porque batida na cabeça é perigoso, me deu os cinco minutos e fui. Todos já estava sabendo do ocorrido, até ai tudo belezinha, fiz o jogo parecendo uma alcoolizada, faltando quatro minutos para o fim do jogo, ergui a bandeira e o árbitro não viu, ai comecei a gritar, não deu tempo saindo o gol do time da casa, eu resolvi continuar com a bandeira erguida porque tinha certeza do lance, a torcida gritava: “ela tá louca da cabeça por isso anulou”, sorte que o preparador físico segurou os atletas dizendo do meu acerto, se não....rsrsrs para completar a tragédia da viagem, o carro da arbitragem me deixou na Anchieta, já estava escuro, ia ligar para alguém me pegar mas não deu tempo pois vim dormindo a viagem toda devido a pancada na minha cabeça. Desci do carro com a mala e liguei para o meu pai, deu uns dez minutos e fui assaltada levaram minha mala nessa hora e sentei na sarjeta e comecei a chorar. Meu pai veio me resgatar e ligou para F.P.F. dizendo que eu nunca mais iria atuar.....rsrsrs, coitado ele ficou nervoso.

Já tem uma inesquecível também?

Sim final da Copa do Brasil Feminino em 2009 Santos X Botucatu no Pacaembu

Contra ou a favor da profissionalização e porque?

Totalmente a favor, desde que seja sério e organizado. Uma lei que funcione.

Os sorteios te agradam?

Sim, não vejo problemas neles, só poderia ter mais bolinhas femininas participando no apito.

E sua família apoiou e apoia você nesta atípica função?

Sim, sempre me apoiaram porque sabem no meu amor pelo futebol feminino. Hoje apoiam ainda mais por eu estar em minha cidade como Supervisora do Futebol Feminino.

.
Alguma situação constrangedora que já tenha vivido na arbitragem?

Kkk muitas. Vou contar algumas.
Certa vez fui fazer um jogo no interior. Depois de uma viagem longa sentei no sofá que estava no vestiário, quando abri o olho após um cochilo lá estava um escorpião gigante, dei um pulo e sai correndo e gritando e acabei dando uma entrevista para a TV falando do perigo de morrer na cidade kkk.
Outra situação engraçada foi quando fui fazer um jogo do Paulista feminino em Santos. Começou a chover muito e quando olhei para o banco todos começaram a rir, achei estranho e escutei: “ ela parece componente da banda Kiss, aqueles roqueiros loucos, pois bem, meu rímel tinha escorrido todo e eu estava parecendo um monstro.
Também já parei o jogo porque entrou um pintinho, o ataque estava em cima dele coitado não ia deixar o coitadinho morrer né.
Fui atacada por um quero- quero quando entrei em campo a torcida começou a rir e tirou sarro de mim o jogo todo. Vixi da para eu escrever um livro


E os engraçadinhos, ás vezes “atacam” nos estádios?

Muitos.... já recebi uns presentes engraçados, até ganhei uma cueca kkkk, também tem aquelas propostas cômicas de dar uma saidinha rápida essas coisas kkk, eu levava de boa , só bêbados que eu nunca gostei e nem dei atenção, eles são os piores.

Quais são para você as maiores dificuldades da carreira?

Para mim foi a parte física porque já cheguei na arbitragem comprometida por ter sido ginasta mas a principal na minha opinião é a falta de profissionalização e a perseguição da mídia para com o árbitro.

Aceitaria convite de revistas masculinas?

Não, nunca pensei em trabalho assim, mas não reprovo.... só acho que pra mim não combina eu sou muito molecona.

Deixe uma mensagem ás mulheres da arbitragem.

O sucesso na vida depende unicamente de insistência e determinação pois isso lutem, treinem , se divirtam e acreditem no espaço que nós já adquirimos dentro de campo, o pior já passou ... tabus já foram quebrados, ajudem também a erguermos a bandeira em pró de um futebol mais belo e honesto, há espaço para todas e não se esqueçam da responsabilidade não só nas quatro linhas mas fora de campo também.
Sucesso a todas!!!

Você já “pagou algum mico” em alguma partida?

Vários. Já dei impedimento do próprio jogador que passou a bola e correu para atacar, já agradeci os telespectadores da rádio e não da tv, kkk

Nos conte seu prato preferido, livro, filme, hobby ou o que mais gosta?

Amo comida japonesa mais não dispenso uma bela fejuca, rsrs
LIVRO: O que toda mulher precisa saber
FILME: Doce novembro e Menina de ouro
HOBBY: Adoro ficar em casa sem fazer nada, vendo um belo filme e comendo pipoca nos finais de semana. O difícil é isso acontecer!!
 
 

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440