AMADORISMO PURO

Não existe outra expressão para ser usada e julgar a absurda “falha” da Portuguesa no caso da utilização do jogador Heverton e que sem nenhuma duvida “devolvera” a equipe á Serie B do Campeonato Brasileiro. Se não foi amadorismo puro foi algo ainda muito pior: Um novo Presidente acaba de chegar ao clube, somente assume em Janeiro e, no campo das hipóteses, estaria ele sendo bem recebido pela direção atual? Existiria algum revanchismo com a atual presidência? Algum “ciúme?” Quem recebeu a informação dos dois jogos de suspensão pertence a alguma “ala” do clube que não a do novo Presidente eleito?
 
Se o advogado presente ao julgamento já declarou que a informação foi claramente passada, de dois jogos e não de apenas um quem não repassou a informação? Ou repassou e alguém “segurou”? E a Comissão Técnica, ninguém “se tocou?”
Para mim este caso “tem cheiro de arroz queimado” e só não sei ainda lhes identificar em que “fogão” ele queimou. O tempo talvez venha a nos mostrar...
Lembram da greve dos jogadores na mesma semana, por salários atrasados?
E sabem quem “arrumou” o dinheiro para pagar aos jogadores: Ilídio Lico, o Presidente que somente assume em Janeiro. E ai, você também que nos lê, está sentindo também agora o “arroz queimando?”
 
São apenas hipóteses, mas no futebol existem coisas que “até Deus duvida” e não se descarte também alguma participação do maior interessado no caso, o Fluminense, que, aliás, não mais irá cair. Quem se ofereceu para pagar os salários atrasados do Náutico, lembram disso, poderia estar nesta história também, direta ou indiretamente. Alguém já pensou nisto? Não é uma acusação, longe disto, mas muito dinheiro corrompe alguns seres humanos. Repito, são hipóteses...
 
 
Não somos nenhum especialista em assuntos jurídicos do futebol, mas para nós a Lusa perderá tranqüilamente os pontos e fatalmente será rebaixada. E que não se culpe ninguém a não ser a ela mesma e sua incompetência. Tenha acontecido qualquer uma das hipóteses levantadas, no “frigir dos ovos” e nos detalhes que fazem a instalação de uma partida de futebol a culpa estará sempre dentro de sua própria casa, o Canindé...
 
Em 1954 o E.C, Taubaté numa final de Segunda Divisão contra o Comercial, e aqui sim por incompetência interna, utilizou o jogador Alcino sem condição de registro na Federação, venceu o jogo por 6x3, mas dançou no Tribunal.
 
Na época o falecido Thomaz Mazzoni, Diretor de A Gazeta Esportiva, apelidou o clube que até hoje carrega tal símbolo “nas costas” de O BURRO DA CENTRAL.
 
Como será que Thomaz Mazzoni, o “Olimpicus”, definiria desta vez?
Como estamos no país em que regras são rasgadas e leis descumpridas quem sabe algo “sobrenatural” possa salvar a Portuguesa, e ai sim eu saberia como Thomaz Mazzoni definiria, e seria da mesma maneira que apelidou uma “virada de mesa” do Jabaquara (onde jogava Jose Maria Marin) na década de 50:  “MAIS UMA JABAQUARADA”...
 
 
 
Gustavo Caetano Rogério

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440