Bola Murcha - 03/02

 Uma primeira etapa altamente infeliz foi o que se viu de Paulo César Oliveira em Santos 5x1 Corinthians. Já na primeira polemica, as ultimas orientações emanadas definiriam com irregular o primeiro gol do Santos, com jogadores impedidos e á frente da visão do goleiro Valter, e num lance em que nenhuma responsabilidade coube ao assistente Emerson Augusto de Carvalho. Como se não bastasse o “erro”, o atacante santista Gabriel chutou para longe mastro e bandeirinha de canto, na comemoração, e sem ser admoestado com Cartão Amarelo. No final desta etapa Gustavo Henrique empurra Guerrero, dentro da área e pelas costas sem que fosse marcada a penalidade máxima que existiu. Detalhe: se a penalidade máxima fosse marcada o zagueiro teria que receber Cartão Vermelho por impedir situação clara de gol. Mas a infelicidade não terminou aí, e sim um minuto depois é Ralph quem empurra, pelas costas á Cicinho, cometendo mais uma penalidade máxima não marcada. Na segunda etapa nenhum lance polemico e um inicio de confusão bem controlado pela arbitragem. E mais um detalhe: o goleiro Aranha utilizou um calção térmico em condições não permitidas pelas regras. Quando analisamos o gol do Santos e colocando entre aspas a palavra erro, queremos observar que é lance altamente discutível e que pode ter várias teses defendidas de gol regular.
 
Para o grupo de “baderneiros” que invadiu o CT do Corinthians, pulando muros e cortando cercas, para intimidar e ameaçar de agressão aos jogadores. Pergunta-se qual a razão de a policia estando presente, nenhuma  providencia foi por ela tomada limitando-se exclusivamente a acompanhar o que ocorria. Pular muros e cortar cercas para invadir propriedades particulares não é crime? Este é mais um dos retratos de nossa “segurança”.  Pior ainda alguns dirigentes e Mano Menezes que acabaram “recebendo” em reunião parte dos “torcedores”. Um deles era Tiago Ferreira que estava preso em Oruro...
 
Para a Associação Portuguesa Desportos que vive um verdadeiro inferno astral. Indefinida quanto sua participação á nível nacional, caminha a passos largos para ser rebaixada em São Paulo. Como já dissemos aqui, o Amigo Ilídio Lico pegou um “rabo de foguete”... 
 
Para Oswaldo de Oliveira que faz pose de “mocinho educado” mas desde tempos outros é muito irritadinho com a arbitragem, e esta o deve colocar em seu devido lugar. Flavio Rodrigues Guerra já lhe deu o primeiro recado expulsando-o.
 
 
 
O MAIOR DESAFIO DA VIDA NÃO É VIVER, É CONVIVER COM PESSOAS MÁS QUE DELA FAZEM PARTE...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440