BOLA MURCHA - 31/03

 O Campeonato Carioca bateu neste ano até aqui seu maior recorde negativo de publico nos estádios: das 120 partidas jogadas 76 delas não tiveram publico superior há 1.000 pessoas, 61 desses jogos não teve, sequer, 500 pagantes na arquibancada. Em contrapartida enquanto os clubes tiveram altos prejuízos em 87% dos jogos, a Federação embolsou, limpinhos até aqui, R$ 880 mil em taxas. E para os nossos dirigentes está tudo bem com o futebol brasileiro. Detalhe: Lá como em outros estados, o Presidente da Federação, Rubens Lopes, já está reeleito até 2018..
 
Depois de três boas arbitragens na fase de quartas de final do Paulistão, infelizmente não se pode dizer o mesmo de Flavio Rodrigues Guerra em Palmeiras 2x0 Bragantino no Pacaembu. Absolutamente confuso errou demais tanto técnica como disciplinarmente, a ponto de desestabilizar até mesmo seus Assistentes, em especial o bom Vicente Romano Neto. Mas tudo isto tem uma explicação e já externamos nossa opinião varias vezes nestas colunas: Não se impõe por sua postura perante os jogadores, e estes, sentindo tal comportamento passam a não acreditar em suas decisões, especialmente nas questões disciplinares, Não faremos as observações detalhadas de sua atuação, preferindo deixar mais uma vez a nossa opinião calcada na necessidade absoluta de que, ou Guerra muda sua postura, “vivendo” o jogo e  “dizendo a todos” que tem árbitro no jogo, ou será eternamente árbitro para jogos comuns e não para partidas especiais e decisivas. Saber arbitrar ele sabe e bem, mas sua aparente tranqüilidade na condução das partidas não passa segurança aos jogadores, e estes passam a abusar e contestar sua autoridade. Alguém precisa conversar com Guerra, mudando sua postura, para que não se perca um bom árbitro.
 
Para Edílson, o Capetinha de Palmeiras e Corinthians que foi preso na Bahia por falta de pagamento de Pensão Alimentícia. Amigos, fãs e parentes tiveram que fazer uma “vaquinha” para pagar em torno de 100 mil reais devidos, para que fosse solto da prisão. Vampeta foi um dos que mais ajudaram para arrecadar tal valor. Vale lembrar que Edílson responde por outro processo semelhante, com outra mulher, e em ação aberta em 2012.
 
E não é que o famoso “trio de Ferro” do futebol paulista, e cada um em momentos distintos, morreram na praia e não chegou a lugar nenhum no Paulistão? Estaremos novamente assistindo a mais uma “Festa do Interior”...
 
 
 
DE QUE ADIANTA TER UMA MANSÃO, SE NELA NÃO EXISTE UM LAR...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440