Entrevistado do mês: Marcio Luis Augusto

arbitragem, nQual, Augusto, Komono, Bauru, filhos, curso, Masuko, Erika, fazer, Elena, razão, Julia, levou, nEsposa, Antonio, estado, nascimento, cidade, civil, esposa, Maria, Conte, casado, nNascido, DoloresConte para nós sua cidade de nascimento, data, estado civil, nome dos pais, esposa e filhos.
Nascido  em Bauru no dia  03/08/1969, casado, pais  Antonio Augusto e Maria Dolores Augusto.
Esposa Erika Masuko Komono  filhos Elena Komono  Augusto e Julia Komono Augusto.
Qual razão o levou fazer o curso de arbitragem e em que ano?
Gostava de jogar bola,tive uma lesão pequena no tornozelo que fiquei parado alguns meses sem jogar,ai um amigo me chamou para apitar alguns jogos no clube,gostei  e estou até hoje .
Tem lembrança de alguns colegas de sua turma de 1991????
Edilson Pereira de Carvalho, Evandro Silveira ,Flavio Lucio Magalhães, Silvio Cesar Talarico, Carlos Augusto Nogueira Junior.
Jogou profissionalmente ou foi mais um peladeiro e onde?
Só  juvenil em Bauru.
Tem lembrança ainda de sua primeira escala? Quem nela trabalhou ?
Sim ,em junho de 1991 Campeonato de Futebol Juniores  da FPF em Votuporanga  .... Votuporanguense x Rio Preto, Arbitro Mario Tetsu Okamoto, auxiliar  Carlos Augusto Martins Francisco.
Fez algumas finais de campeonatos? Se não, cite alguns jogos importantes.
Sim, Campeonato Paulista de 2001 e 2002 .
Uma partida que você gostaria de esquecer ???
Sempre queremos esquecer aquela partida que erramos e que muda o resultado do jogo.,graças a Deus foram poucas.
E uma partida que para você será sempre inesquecível?
As finais, semi-finais,mas para mim todas as partidas da minha carreira serão inesquecíveis, pelas pessoas que tive o privilégio de trabalhar.
Qual sua opinião sobre a classe árbitro de futebol?
Melhorou muito, mas precisamos nos unir como profissionais que agora somos reconhecido,temos uma força que esta escondida,precisamos colocar para fora,mas todos remar para o mesmo lugar para o bem de todos.
Qual a maior característica, ou mais importante, para um Árbitro Assistente?
Creio que é amar a profissão, dedicar, estudar, treinar,respeitar as pessoas mais experientes,sempre buscar melhorar,ter muita calma,concentração.
Para o Assistente as inúmeras câmeras mais ajudam ou “mais entregam” numa partida?
Muito mais ajudam, precisamos aprender a ter a tecnologia  a nosso favor,se estivermos certos ela vai mostrar e se errarmos podemos ver e rever o que erramos e melhorar.
Tem algum nome de arbitro com quem melhor se deu na sua função?
São vários que deram certo comigo, mas estarei sendo injusto se falar só de um ,pois tive a alegria de trabalhar com muitos nesses 23 anos de arbitragem.
As elevadas exigências físicas são para você absolutamente necessárias?
Hoje como professor de educação física, vejo com outros olhos, creio que sim, o grande problema é arrumar tempo para treinar em auto rendimento como é necessário,pois temos outra profissão, família etc.
 Você é a favor dos trios fixos ou pensa de forma diferente?
O trio fixo você vai se habituado com os colegas, vai se entrosando a cada jogo,mas também sou favorável a ir com outros árbitros,principalmente o que acontece na CBF,árbitros de outros estados,assim podemos trocar experiências.
Qual para você é o maior problema na nossa arbitragem?
Comunicação entre os árbitros, retorno mais breve das comissões sobre os jogos que o árbitro atua,se teve algum problema para que ele possa ter um feedback ,para não errar nos próximos jogos,árbitros realmente se dedicarem a profissão,pois esta acabando aquele arbitro que ama esta profissão.
E a maior virtude?
A dedicação de alguns árbitros e mudanças de  algumas comissões sobre a nossa carreira.
Qual é o sentimento de quem está no seu ultimo ano de arbitragem?
Sentimento de dever cumprido, não é fácil a vida de árbitro,tive que abrir mão de algumas coisas para chegar onde estou,mas me orgulho de ser arbitro e agradeço a DEUS por cada segundo vivido dentro e fora dos campos.
Valeu á pena a arbitragem para você? Por quê? Se pudesse faria tudo de novo?
Sim,porque aprendi a enfrentar problemas,trabalhar com pressão,conhecer lugares que talvez não conheceria se não fosse  pela arbitragem e principalmente pelas pessoas que conhecemos e fizemos grandes amizades .
Qual conselho daria aos  mais jovens?
É uma profissão difícil  mais muito gratificante,hoje vale a pena investir . A cada ano surgem novas expectativas.
Um prato, um hobby, um filme, um nome e uma frase:
Prato : Lasanha
Hobby :  Correr
Filme: A espera de um milagre
Frase : Não desista do seu sonho, acredite, coloque na mão de DEUS.
Use o espaço final para o que gostaria e não te foi perguntado, ou encerre da maneira que melhor te parecer, e recebendo de nós da AAGSP os maiores cumprimentos e agradecimento por sua carreira vitoriosa.
Gostaria de agradecer a AAGSP por este espaço onde consegui  colocar um pouco de tudo aquilo que a Arbitragem me proporcionou  nesses vinte e três anos de gloria,alegria e poucas tristezas que me ajudaram a crescer.
Agradeço a DEUS em primeiro lugar que me deu muita saúde, proteção,cuidou de cada viagem,dos jogos ,  e dessa excelente família.
Também aos árbitros,árbitros assistentes,observadores,delegados,presidentes de Comissões Estaduais e da CBF ,amigos e todos diretamente e indiretamente que  fizeram parte da minha história na arbitragem. Obrigado!!

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440