COMANDO EQUIVOCADO, ARBITRAGEM RIDICULA...

Se você tem a competição de maior representatividade no mundo, se você tem investimentos inimagináveis para sua organização, se você tem em cada seleção os maiores jogadores do país e do mundo, se você convoca os maiores árbitros do mundo, qual seria a razão de arbitragens ridículas como a de Carlos Velasco no Brasil 2 x 1 Colômbia?
 
Poder-se-ia dizer que o árbitro não estava numa tarde feliz, poder-se-ia dizer que teve enormes dificuldades para sua condução, poder-se-ia dizer de tudo, mas e para quem não enxergou a culpa maior, não aqui, mas em toda a competição é de um comando equivocado, tão ridículo quanto muitas arbitragens. Árbitros “doutrinados”, árbitros que ou cumpriam ou ficavam fora dos jogos, árbitros que em momento algum puderam arbitrar dentro de suas aptidões e entendimento das regras. Árbitros confusos por não arbitrarem á sua característica, aqui não permitida pelo comando equivocado.
 
A colocação e a movimentação a eles exigida mudaram o que de mais perfeito sempre se orientou á árbitros em todo o mundo: a diagonal pelo campo de jogo que é a melhor forma de, lateralmente e com visão perfeita dos assistentes, terem melhor visão e colocação para decidir. Foi-lhes exigido, e todos atuaram assim, quase que uma linha reta de meia lua de área á meia lua de área, estando sempre por esta razão no caminho da bola, no caminho dos jogadores, nas linhas de tiro á gol, e o que é pior, inúmeras vezes á frente da linha da bola. Lamentável. Já escrevi que em nenhuma competição vi tantos árbitros recebendo boladas, tantos árbitros “pulando das bolas”, tantos árbitros “trombando” com jogadores. Imaginem como estaria o emocional de cada um deles?
 
Além dos aspectos de colocação e movimentação a maior afronta ás Regras, claramente orientada a eles, foi a “ordem expressa” de se retardar ao máximo a aplicação do primeiro Cartão Amarelo. Parecia que os jogadores tinham “autorização” para baterem uma, duas, três ou mais vezes para aí sim, e em poucas ocasiões, serem “amarelados”. Amarelo e Vermelho então nem pensar. No Brasil o maior exemplo vem sendo Fernandinho...
 
Carlos Velasco foi somente mais um instrumento a obedecer cegamente á quem manda...
 
Ele e todos os demais não podem, e não são tão ruins assim... Não são os melhores do mundo?
 
E Deus permita que, ao final da Copa do Mundo, nenhum “iluminado” dirigente de arbitragem brasileira ache perfeita a “inovação” para agradar, também a mais alguns, e “doutrinar” nossas arbitragens.
 
 
Gustavo Caetano Rogério

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440