NEM QUERO-QUEROS ESPANTAM MAIS...

A coisa esta cada vez mais vergonhosa na arbitragem brasileira. Promessas de mudanças, entrevistas bombásticas, mas nada muda e tudo continua igual, ou melhor, cada dia está pior.
 
Motivei-me a este texto pelas ocorrências nas ultimas rodadas e ligadas diretamente aos Árbitros Adicionais, para muitos chamados de cones, para alguns chamados de espantadores de quero-queros, e por aí vai...
 
Somos contra os Árbitros Adicionais? Claro que não. Aliás, seriam de extrema importância numa partida de futebol. O Árbitro Central necessita desse apoio, nem a tudo pode ver e contaria com mais olhos a lhe ajudar.
 
Já nem vou mais cobrar a omissão destas figuras, hoje já decorativas, mas sim cobrar a omissão de quem os escala que a tudo vê, faz vistas grossas, como eles fazem também em campo, e não os chama á responsabilidade punindo-os até.
 
Nem vou citar as inúmeras situações que poderiam ser aqui destacadas, mas vou me prender a duas delas: A penalidade máxima cometida por Tobio em Luan, no Atlético  Mineiro x Palmeiras foi algo de mais ridículo, grotesco, que já se viu num lance de área penal. Um lance “limpo” somente envolvendo os dois jogadores, um empurrão com as duas mãos, sem ninguém para atrapalhar a visão de árbitro ou “espantador” e omissão total. Ridículo e inaceitável. O outro se deu em Santos x Corinthians quando Petros, deliberadamente, agride ao árbitro pelas costas e nenhum “espantador” para denunciar, e nenhum Assistente para informar, e nem o Reserva para comunicar. Ridículo, lamentável, coisa própria de omissos, ou de quem não está nem aí no trabalho de equipe.
 
Este final de semana foi pródigo em situações semelhantes e teria que escrever muito mais para citar cada uma das situações ocorridas e omitidas pelos “espantadores”, ou “cones” para quem assim preferir.
 
A culpa? Ela é de alguns que continuam a iludir aos seus superiores que não entendem do assunto, criando cartilhas, criando congressos, criando encontros, criando textos, mas que na pratica nada resolvem. Formar e orientar árbitros exige muito mais que isso... Paralelamente a ninguém punem pelos erros, e ás vezes até parecem querer demonstrar sua força dando a eles, na seqüência, escalas ainda melhores.
 
Já escrevi tempos atrás que, salvo raríssimas exceções, o Adicional não interfere deliberadamente, não tem nenhum interesse num trabalho de equipe, acha que deveria ele ser o Central e não quem lá está, vê e finge que não viu, e o que é pior: Conta, veladamente, para todo mundo que viu, mas quer mais que ele se dane pois deveria ele sim, estar no seu lugar...
 
PUNAM OS “ESPANTADORES” QUANDO ACONTECEREM SITUAÇÕES, AFASTE DAS ESCALAS, E IRÃO VER COMO AS COISAS MUDARÃO...
 
A coisa anda tão ridícula com relação aos “cones” que nem mesmo os quero-queros, e agora falo dos pássaros em campo, tais figuras espantam mais...
 
ET. Para aqueles que acham que escrevemos visando algo mais, saibam que este não tem mais nenhum interesse, bem ou mal já fez a sua parte, e se o faz é por não mais se conformar com tanta incompetência por alguns “vendida” como qualidade...
 
 
Gustavo Caetano Rogério

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440