Bola Cheia - 03/11

BOLA CHEIA
 
 
Bola Cheia para Rogério Ceni que, semana passada, bateu o recorde mundial de vitorias por um único clube: 590. É também o goleiro que mais gols marcou gols em todo o mundo até então. Uma carreira brilhante que mereceria ter tido mais sucesso na seleção brasileira, mas, assim como Emerson Leão, e cada um á sua maneira, falavam o que sentiam e não badalavam ninguém puxando o saco.
 
Bola Cheia para Luis Flavio Oliveira que vem sendo bastante prestigiado nas escalas mais recentes e esteve em Flamengo 2x0 Atlético Mineiro pela Copa do Brasil. Não assistimos à partida completa, mas pelo que vimos se houve muito bem, e com perfeita interpretação da penalidade máxima favorável ao Flamengo. Já é o substituto de seu irmão Paulo Cesar na FIFA. Estamos felizes por ele e por Raphael Claus.
 
Ufaaa que deram uma dentro: Francisco Carlos Nascimento sacado do Quadro FIFA. Nada contra o homem e o ser humano, mas decisão acertada quanto ao árbitro. Absurdo para nós a saída de Marcelo de Lima Henrique, mostrando que a política e os interesses continuam na formação do quadro e um exemplo é Anderson Daronco garantindo mais uma vaga para os gaúchos sempre bem representados e hoje sem árbitros de maior expressão.
 
Bola Cheia para Flavio Rodrigues Guerra que na sexta feira, em Paraná 1x1 Vasco da Gama completou sua sétima escala nos últimos vinte dias, ou seja, uma partida a cada três dias e em estados diferentes. Vive bom momento, mas árbitro também estressa e acaba “estourando”. Aqui foi bem num jogo difícil, aplicou 8 amarelos e 1 vermelho e tecnicamente não teve maiores problemas. Está “vivendo” um pouco mais as suas partidas e isto é muito bom, mas cadê os outros árbitros de São Paulo?
 
Botafogo 0x1 São Bento fizeram uma partida acirrada, especialmente no primeiro tempo, dando muito trabalho a Marcelo Prieto Alfieri que técnica e disciplinarmente se deu muito bem. Porém, se pudéssemos aconselhar diríamos a Marcelo Alfieri que precisa, e é imperioso em sua carreira, mudar radicalmente seu comportamento gestual, fala, e enfim como se dirigir á atletas e componentes de bancos, quando na administração de alguns desentendimentos entre jogadores. Gritos e gestos fortes não significam comando sobre eles. Mesmo com a derrota o Botafogo foi ás semifinais da Copa Paulista.
 
Criciúma 1x2 São Paulo tiveram a condução de Dawson Freitas que, e ninguém comentou isso, poderia ter se transformado por culpa de seu Assistente, Marcio Dias, na Bola Murcha da partida. Isto pelo fato de que o gol do Criciúma foi absolutamente irregular, se não no primeiro momento, se não no segundo momento, mas claramente no terceiro momento e na posição de Souza que marca o gol. Está á frente da linha da bola e com somente Rogério Ceni atrás de si. Na segunda etapa o mesmo Assistente marcou impedimento de Souza sem atentar que, a bola quando lançada não desviou na cabeça do zagueiro tricolor, mas sim “foi jogada pela cabeça” em direção ao seu campo, condição que no julgamento da Regra 11 foi alterada recentemente para configurar jogada legal.
 
Bahia 0x1 Palmeiras na Fonte Nova aliviou um pouco mais o sufoco esmeraldino e definitivamente complicou a situação dos baianos. Mesmo não jogando um futebol como nas ultimas apresentações o Palmeiras mereceu o resultado pela luta e determinação de seus jogadores. Leandro Pedro Vuaden, ao seu estilo foi bem, mas se a intenção é boa de deixar o jogo fluir, algumas ações faltosas, e não marcadas, contrariam as regras. Em lance na área do Palmeiras não entendemos como penalidade máxima, e sim bola na mão de Natan.
 
 
 
ENSINARAM-ME QUE O SILENCIO TAMBÉM É RESPOSTA...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440