A BOLA AO CHÃO...

Uma pergunta me foi feita e por ela resolvi mostrar que quando não se conhece o ESPIRITO DA REGRA não se pode orientar sobre textos. Os árbitros são orientados de que, numa bola ao chão, nunca poderá ser marcado um gol, seja a favor ou contra uma equipe.
 
Da mesma forma que no RECUO DELIBERADO alguém escreve um texto, equivocado, e acaba virando regra, mas erroneamente. Neste caso nunca foi a intenção da modificação “proibir” TODOS os recuos de bola ao goleiro e sim, somente quando aconteciam aquelas irritantes trocas de bola entre zagueiros e goleiros. Nestas ocasiões existia a desigualdade, pois quando o atacante tentava tomar a bola o goleiro usava as mãos. Isto sim é a “cera” que a regra queria punir, e nunca quando um zagueiro salva um gol em cima da linha, e tocando a bola ao seu goleiro que a defende com as mãos ou situações de possibilidade de gol ao adversário. E o erro textual virou regra...
 
Lembram da implantação que proibia o goleiro de usar as mãos depois de ter tocado anteriormente e com as mãos? Quem escreveu o texto esqueceu-se do ESPIRITO e cansamos de ver goleiros “dando bicicletas por não poder mais usar as mãos” numa das coisas mais ridículas que já vimos.
 
E assim agora está se escrevendo e orientando sobre a Bola ao Chão...
 
Se você perguntar a um árbitro se valerá um gol imediatamente após uma Bola ao Chão a resposta virá de imediato: NÃO, NÃO MAIS VALE GOL NESTAS CONDIÇÕES. E se acontecer isso não o condene, ele foi orientado assim.
 
Quem escreve ou orienta somente esqueceu que não são todas as situações de Bola ao Chão PROVOCADAS PELO FAIR PLAY, e onde corretamente um gol não será validado a favor ou contra uma equipe. Quando? Para exemplificar são as situações em que um jogador necessita atendimento médico, a bola ESTÁ EM JOGO, e o árbitro paralisa. No reinicio com Bola ao Chão o gol não valera se marcado diretamente após a execução. Razão? Pratica de Fair Play...
 
Porém esqueceu-se que uma Bola ao Chão poderá existir por outros motivos onde o FAIR PLAY não será necessário. Por qualquer outra razão (questões externas ao campo de jogo, um objeto atirado no gramado, uma infração cometida ao mesmo tempo por dois jogadores adversários e outras mais) quando ELE ARBITRO paralisar, o reinicio será com uma Bola ao Chão não é mesmo? E não esqueçam ainda que são necessários nesta situação, de DOIS JOGADORES a disputar esta bola, diferentemente do FAIR PLAY onde um deles abre mão da disputa e por esta razão de absoluta esportividade não poderá ser o adversário beneficiado.
 
A grande e esquecida diferença é que, nestas situações, como diz o narrador Milton Leite:
 
 
                                                                          “SEGUE O JOOOOOOOGO”
 
Gustavo Caetano Rogério

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440