Bola Cheia - 09/03

Bola Cheia para Capivariano 3x0 Caxias na primeira apresentação dos paulistas em competições nacionais. Vitoria tranqüila, em momento algum ameaçada pelo Caxias, aliás, bem pior que em outros tempos e uma equipe muito fraca. Wagner Reway no apito, nada ficou devendo nesta partida, continua com muitos defeitos, mas não se deu mal nesta arbitragem. Publico decepcionante num momento histórico para o clube de Capivari que agora tem grande vantagem para o segundo confronto pela Copa do Brasil.
 
Bola Cheia, finalmente uma, para a Portuguesa de Desportos que eliminou o Santos já na primeira partida da Copa do Brasil, e vencendo por 3x1. Em tempos difíceis e de muitas Bolas Murchas, eliminar “um” Santos já é alguma coisa para a Lusa. Aos menos avisados informamos quer o “tal” Santos é de Macapá, no Amapá...
 
Bola Cheia para o Palmeiras que, lá no “matinho” de Vitoria da Conquista venceu a equipe local por 4x1 e eliminou o jogo da volta. “Matinho” pelo fato de que, nos dias atuais, é inadmissível que se exponha um grupo de alto investimentoprimeira, equipe, Cheia, muito, momento, aliás, Vitoria, Caxias, nesta, tempos, fraca, apito, devendo, ficou, Reway, Wagner, ameaçada, competições, paulistas, apresentação, Capivariano, nacionais, tranqüila, algum, outros num campo como aquele. Arbitragem do alagoano boa gente Charles Herbert que não sabemos se estava empolgado, emocionado, entusiasmado ou sabemos lá o que, por estar arbitrando um jogo de vitrine como esse, mas nada concentrado. Marcou o obvio, mas deixou de marcar situações mais obvias ainda, expulsou bem a Arouca, marcou bem a penalidade máxima para o Palmeiras, aplicou os cartões amarelos óbvios, mas não aplicou a Dudu num cartão amarelo mais obvio ainda. Ailton Farias da Silva, o assistente numero um, e sergipano, marcou três impedimentos e errou “somente dois”...
 
Bola Cheia para o Corinthians que não tomou conhecimento do San Lorenzo e passou por cima dos argentinos. Elias, Cássio e muita sorte (faz parte e ajuda a quem merece) foram destaques da partida. Carlos Vera na arbitragem foi o mesmo de sempre, mas deixou o “pau comer” demais na primeira etapa e sem providencias. É o Corinthians, sem duvidas, um dos maiores candidatos ao titulo da Libertadores.
 
A Associação de Árbitros da Grande São Paulo e todos que dela fazem parte, direta ou indiretamente, associam-se ao SAFESP nos votos de recuperação de José Astolfi que se encontra adoentado. Força Zé...
 
Palmeiras 1x0 Bragantino levaram mais um grande publico á Arena, mas que, apesar da equipe jogar com um “segundão” se esperava bem mais contra o fraco adversário, um dos últimos do campeonato na classificação. Luis Flavio de Oliveira não teve nenhum trabalho na partida, pequenos erros, administrou mais que puniu as ações de indisciplina, somente usando Cartões Amarelos nos minutos finais. Relembrando Romualdo Arpi Filho foi uma “mangaba” ou uma... babinha.
 
Portuguesa 1x1 Penapolense fizeram uma partida de muito bom nível, apesar de sob chuva nos noventa minutos e onde qualquer um poderia ter saído vencedor. Domínio da Portuguesa no primeiro tempo e melhores momentos do Penapolense na etapa final. Na arbitragem Marcelo Rogério, melhor no segundo tempo que no primeiro, onde permitiu muito falatório dos jogadores, e para nós deixou de marcar penalidade máxima para a equipe interiorana. Correto nos cartões amarelos aplicados, e especialmente logo no inicio da partida aos dois jogadores (ataque e defesa) que se agarravam antes do Tiro de Canto, acabando com essas ações na partida. 
 
São Paulo 0x1 Corinthians refletiram o que representam no momento atual e a superioridade alvinegra que, além de estar tática e tecnicamente em extraordinária fase ainda vem sendo bafejado pela sorte. Rogério Ceni que dificilmente falha, para nós falhou novamente (como o foi no jogo da Libertadores) além da penalidade máxima perdida. Na arbitragem de Leandro Bizzio Marinho nenhuma interferência no resultado final, não teve significativos erros técnicos, teve boa colocação e movimentação. Mas nas questões disciplinares continua com critérios indefinidos, e, neste jogo pelas técnicas aplicadas deu sorte para não existirem confusões maiores pelo fato de demorar, excessivamente, para punir apesar do acerto destes cartões. Na primeira das confusões Ganso o aplaude ironicamente após ser amarelado e aceita passivamente. Acertou na penalidade máxima, e por força das ultimas instruções que recebem, mas graças ao assistente Daniel Ziolli, aliás, perfeito em todas as suas marcações, como já o fora na primeira etapa Alex Ang Ribeiro. Expulsão correta de Gil quando da penalidade máxima. Aliás, concordamos integralmente com os comentários de Leonardo Gaciba durante, e especialmente no comentário final sobre o árbitro, mas lhes garantimos que muitas interrogações, e varias posições conflitantes, irão existir entre quem comentar esta arbitragem.
 
Apesar da derrota na Copa Davis para o argentino Leonardo Mayer, aplausos para o tenista brasileiro João Souza, o “Feijão” que com esta partida entra para a historia do tênis mundial, pois a duração de 6 horas e 43 minutos é a segunda maior do mundo. 3 x 2 foi o resultado final para o argentino.
 
 
“PREOCUPE-SE MAIS COM SUAS ATITUDES, DO QUE COM A OPINIÃO ALHEIA.”

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440