Bola Cheia - 27/04

Bola Cheia para Novorizontino 2x1 Barbarense pela A2 do Paulistão, em resultado que deixa o Tigrão na luta para subir e elimina a Barbarense. Uma partida que com seis minutos da primeira etapa já apontava 2x0, imaginando-se vitoria garantida, mas não foi o que se viu com a Barbarense “vendendo caro” a derrota na etapa final. Muito boa arbitragem de Flavio Rodrigues Guerra, penalidade máxima logos com dois minutos para os locais acertada, e na seqüência duas expulsões corretas, uma de cada e      quipe. Melhorou muito na sua movimentação, vive um pouco mais os jogos, e se errou foi em uma ou outra falta não marcada para os dois lados.
 
A AAGSP cumprimenta o Clube Atlético Juventus pelos seus 91 anos de existência comemorados semana passada. Um dos mais tradicionais clubes de São Paulo, fundado por italianos da Mooca (Cotonifício Rodolfo Crespi) teve nome e cores inspirados no Torino e no Juventus de Turin, Itália. O Moleque Travesso, como é conhecido, assim foi chamado após uma vitória sobre o Corinthians no Parque São Jorge e após seu sexto ano de fundação, é o sexto clube que mais participou da Primeira Divisão do Paulistão. Depois de maus momentos no futebol, vive hoje a expectativa de subir para a Série A2 o que, aliás, deverá acontecer.          
 
Bola Cheia para Danilo Ricardo Simon Manis que em auxilio ao árbitro Leandro Carvalho da Silva, informando-o que a infração marcada não aconteceu dentro da área penal, e acertando em cheio, foi covardemente agredido por jogadores do “famoso” Nacional. Nossa solidariedade a ele e ao fiscal federacionista Valtier Criado Filho também agredido na ocasião. Os fatos aconteceram em Taubaté, jogo pela A3 entre Taubaté x Nacional.
 
Para o Atlético Mineiro que precisava de dois gols de diferença para seguir na Libertadores na partida contra o Colo Colo, e ás duras penas acabou conseguindo com gol raríssimo de Rafael Carioca. Mas ás duras penas, teoricamente, por ação do Senhor Carlos Vera, do Equador. Quatro penalidades máximas existiram a favor do Galo, e se não viram acreditem se quiserem, mas marcou uma que foi perdida por Guilherme e “si mancou” nas demais.
 
Até que enfim uma Bola Cheia para o São Paulo 2x0 Corinthians na Libertadores, com direito á expulsões e olé ao final. Será que o premio de “100 contos” oferecido aos jogadores do tricolor foi o responsável? Se for, na primeira oportunidade tem de mandar todo mundo embora, pois é difícil encontrar outra explicação para o belíssimo futebol apresentado. Nem mesmo mais uma “idiotice” do até então impune Emerson Sheik serve para justificar. Muito tempo que não víamos um goleiro, Rogério Ceni, não fazer nenhuma, dissemos nenhuma defesa. Poderia ter sido muito mais e o mais curioso é que pelos gols que levou o Corinthians saiu beneficiado na seqüência da competição pegando o time mais fraco da fase seguinte. Não somos muito fãs de Sandro Meira Ricci, mas esteve tecnicamente bem e fez, e finalmente alguém fez, o que muitos já deveriam estar fazendo nas questões disciplinares. Expulsou com acerto Emerson Sheik mesmo não tendo sido violento, expulsou com acerto Luis Fabiano que simulou, e expulsou corretamente Mendoza que “tentou, mas não acertou”. Diz a regra que dar ou tentar dar tem o mesmo peso para decisão. Amarelos corretos e se quisesse ainda poderia ter mandado para fora a Denilson e Elias por pontapés nos adversários. Por uma questão de critério falhou ao não punir Centurion por simulação, e numa arbitragem que, para alguns, pode ter sido de má qualidade, e respeitamos, mas é a falta de costume por punir indisciplinas que direciona a tais opiniões. Raciocinem conosco: Se os expulsos recebessem Cartões Amarelos (como Luis Fabiano) existiria grande polemica ou tudo seria normal e “passaria batido” pela forma que se tocam as arbitragens domesticas? E que nos entendam nestas observações, pois, e não abrimos mão na analise desta partida, as Regras do Jogo foram cumpridas.
 
Bola Cheia para mais dois velhinhos da bola: Taboão da Serra 2x1 Ecus, pela Quarta Divisão Paulista tiveram gols de Viola (46 anos) e Fabrício Carvalho (37 anos). Semana anterior Muller (49 anos) marcava para o Tanabi o primeiro gol do campeonato.
 
 
“A VIDA COBRA E A GENTE TÊM QUE CRESCER”

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440