Bola Murcha - 17/08

Bola Murcha para Coritiba 2x1 Palmeiras numa má partida de futebol e que somente não foi pior graças a absurda atuação de Péricles Bassols Cortes no que diz respeito a não marcação de faltas existentes. Uma equipe ruim, mas briosa e lutadora e outra que, ao que parece, achou através de alguns jogadores que iria ganhar na hora que decidisse assim. Virou totalmente o fio num estádio em que não sabe o que é vencer no Campeonato Brasileiro desde 1989. Citamos a arbitragem, mas ela não prejudicou a esta ou aquela equipe, pois errou vergonhosamente contra as duas como observamos acima e na não marcação de faltas muito claras. Como “reclamar é proibido” ninguém contesta e tudo parece estar na normalidade, onde o único que reclamou e que foi Rafael do Coritiba que foi puxado pelas costas por Alessandro e sem a falta ser marcada, acabou levando um Cartão Amarelo “na cara” e ainda tendo de ouvir “um monte”. Já esta se tornando cansativo falar deste assunto, excepcional para as estatísticas, mas uma afronta ás Regras de Jogo.
 
“O FUTEBOL DEVE SER ENCARADO COMO UMA DISPUTA LEAL E PERMANENTE ENTRE DUAS EQUIPES EM BUSCA DA VITORIA, PORÉM COM FIEL CUMPRIMENTO DAS REGRAS DE JOGO”
 
Bola Murcha para os iluminados que colocaram Luis Flavio de Oliveira para arbitrar Corinthians x Sport onde somente um, ele, teria algo a perder e não quem inventou essa bobagem desnecessária. Resumo da Vaidade: Jogão de futebol, sete gols marcados, e sabem de quem se falou no dia seguinte? Luis Flavio de Oliveira, o bom arbitro paulista que, na casa do paulista foi o arbitro de um time... Paulista. Precisa isto? Não é com escalas deste tipo que se da “prova de honestidade” como diz alguém sobre o assunto.
 
Bola Murcha para Flavio Rodrigues Guerra em Internacional 1x0 Fluminense. Expulsou a Marcos Junior do Fluminense por um segundo Cartão Amarelo desnecessário, mas não teve nem critério e nem coragem para expulsar a Alex do Internacional por carrinho “criminoso”.
 
Se Vitoria 2x1 Santa Cruz fizeram uma ótima partida de futebol, se o árbitro gaucho Luis Teixeira Rocha houve-se bem, poucas vezes vimos uma “parelha” de Assistentes tão ruins. Como nunca os tínhamos visto poderia ate ser que tenha sido uma jornada ruim, mas pelos tipos de erros cometidos e a má colocação de ambos, é impossível que tenha sido somente uma ma jornada. Os erros absurdos que cometeram Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS) e Eric Nunes Costa (SE) foram infantis e próprio de quem conhece muito pouco a função.
 
Bola Murcha para Rivelino Reginaldo Jandoso e para nossa justiça que solta os criminosos que a policia prende. Este já teve inúmeras passagens, até por assassinato. Em janeiro do ano passado foi preso em Campinas e solto 21 dias depois. Em abril deste ano foi preso em Americana, e na semana passada, novamente por furto em caixas eletrônicos foi preso em Bauru. Infelizmente estamos falando de Piá, ex jogador de Corinthians, Santos e Ponte Preta entre outros. Já foi reconhecido por roubo em caixas eletrônicos em mais dez ocasiões em cidades do interior entre os dias 4 e 21 de julho.
 
Bola Murcha para o Vasco da Gama 0x1 Coritiba em pleno Maracanã numa partida de muitos erros, muito nervosismo especialmente dos jogadores vascaínos claramente abalados com a situação da equipe. Feliz foi o Coritiba que marcou seu gol nos acréscimos e ganhou novo alento com seis pontos nos dois últimos jogos. Arbitragem sem maiores problemas de Raphael Claus, devendo alguns Cartões Amarelos, mas não interferindo no vencedor. Entretanto Emerson Augusto de Carvalho marcou um impedimento de Dagoberto, erroneamente, numa situação em que dificilmente o gol não seria marcado.
 
Para a arbitragem do Campeonato Brasileiro especialmente nas situações de uso das mãos ou braços. O que tem se visto é algo de assustar; Nem mesmo os árbitros estão sabendo quando sim ou quando não, e esta todo mundo perdidinho. A penalidade máxima marcada para o Santos contra o Atlético Paranaense por Bruno Arleu Araujo (RJ) é algo para se parar, pensar, e ter a humildade de consertar uma orientação que afronta a Regra de Jogo e que vai acabar destruindo uma competição bem jogada em campo. É só aguardar o segundo turno, pois é ai que “o bicho vai pegar”.
 
“TOCAR A BOLA COM A MÃO IMPLICA A AÇÃO DELIBERADA DE UM JOGADOR FAZER CONTATO NA BOLA COM AS MÃOS OU BRAÇOS” Infração é quando existe o movimento da mão em direção á bola, e nunca da bola em direção á mão. A posição da mão não pressupõe necessariamente uma infração. O RESTO, E O QUE SE ESTÁ VENDO OU É UMA VAIDADE DE ALGUEM OU PURA INCOMPETENCIA PARA ENTENDER QUE NADA MUDOU. Quem não enxerga o ESPIRITO DE CADA UMA DAS REGRAS não pode orientar arbitragem.
 
Bola Murcha para mais uma arbitragem e desta feita de Marcos André Gomes da Penha em Chapecoense 2x1 Atlético Mineiro. Dois erros capitais, além de outros, determinaram a derrota atleticana: Marcou corretamente a falta na entrada da área do Galo, mas errou feio e ainda no primeiro tempo, expulsando ao zagueiro Leonardo por situação clara de gol que não existia pela cobertura de um companheiro no lance. Na segunda etapa validou o segundo gol da Chapecoense em lance que Apodi, claramente, leva a bola com o braço antes da conclusão. Falhou aqui também Danilo Simon Manis que tinha visão aberta para o lance.
 
 
 
“DE TUDO AO HOMEM, MENOS PODER”...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440