Bola Cheia - 24/08

Bola Cheia para o Grêmio que com vitoria na casa do Coritiba e Figueirense com empate em Minas frente ao Atlético Mineiro abriram a nova fase da Copa do Brasil e, teoricamente, já saem na frente para a partida de volta e ambos em seus domínios. O Figueirense foi “castigado” com gol de Leonardo Silva aos 48 minutos da fase final. Assistimos Coritiba 0x1 Grêmio com arbitragem de Sandro Meira Ricci que falou demais, explicou demais, mas deixou de marcar penalidade máxima (mão na bola) contra o Grêmio, “achando” uma falta antes e que não existiu. Antes já havia entendido como bola na mão de defensor do Coritiba dentro de sua área penal em lance que vem sendo marcado por todos. Muito bem o Coritiba na primeira etapa somente faltando o gol, muito bem o Grêmio na segunda etapa e marcando seu gol através de Marcelo Oliveira.
 
Entre os paulistas, Palmeiras e Santos largaram na frente de Cruzeiro e Corinthians respectivamente, com os dois fazendo prevalecer seus mandos de campo. Porém nem Santos e nem Palmeiras especialmente já podem se achar na fase seguinte. Dois jogos iguais no Mineirão e no Itaquerão e onde qualquer dos quatro pode classificar. Assistimos Palmeiras 2x1 Cruzeiro, e mais uma vez não gostamos da equipe paulista que teve momentos de domínio cruzeirense, muito mais chutes á gol e grandes defesas de Fernando Prass. Foi feliz por marcar dois gols e o adversário não ter o mesmo sucesso nas finalizações. Marcelo de Lima Henrique teve uma arbitragem dentro da normalidade, alguns erros técnicos e disciplinares, mas nenhum erro determinante. Seus assistentes sim erraram em dois impedimentos que poderiam alterar o resultado numérico, e um para cada equipe.
 
Bola Cheia para o comentarista Claudio Carsughi que, depois de demitido de forma absurda pela Radio Jovem Pan já está de volta ao radio brasileiro. Pena para nós de São Paulo que estará agora na Radio Nacional do Rio de Janeiro, mas sua volta é uma questão de justiça a alguém extremamente ético e competente.
 
Bola Cheia para Internacional 2x0 Ituano pela Copa do Brasil e com os visitantes em momento algum ameaçando mais fortemente a vitória colorada, aliás, com um golaço, o primeiro, marcado por Vitinho. Elmo Resende Cunha foi um arbitro confuso, sem critérios nas marcações/não marcações de faltas, sem critério na aplicação/não aplicação de cartões, sem critério em situações de aplicação/não aplicação de vantagens. Expulsou Vitinho do Internacional com Amarelo seguido de Vermelho, mas alertado pelo Quarto Árbitro voltou atrás, pois o jogador não tinha advertência anterior. Jogo tranqüilo para ser arbitrado, sem grau maior de dificuldade. Quando do primeiro gol, “embolado” com jogadores tomou uma rasteira, foi ao chão e possivelmente nem tenha visto o gol marcado.
 
Bola Cheia para Santos 5x2 Avaí numa partida agradável de assistir, com predominância santista, mas bom futebol dos catarinenses. E com Dorival Junior ao que parece ajustando a equipe que a cada rodada sobe na tabua de pontuação. Comportamento disciplinado dos jogadores também facilitou a atuação de Leandro Pedro Vuaden que “nem precisou fazer força” para arbitrar. Curiosamente, porém foi mais um desde o meio de semana na Copa do Brasil a não marcar penalidade máxima por uso de braços ou mãos como vinham fazendo, por orientação, os árbitros. Será que, pelas inúmeras reclamações “se tocaram” e mudaram a orientação ou é o árbitro que não mais vai “passar recibo”? Não marcou este, mas marcou outro que não existiu e sobre Lucas Lima que foi mais um depois de algum tempo a ser derrubado “pela formiguinha”,,,
 
Bola Cheia para Luis Flavio Oliveira e Alex Ang Ribeiro em Goiás 3x0 Vasco da Gama. Expulsão de Jorge Henrique corretíssima, penalidade máxima “marcada” por Alex Ang Ribeiro em verdadeiro trabalho de equipe e penalidade máxima de Rodrigo sem contestação.
 
Ponte Preta 0x0 Grêmio fizeram partida bem movimentada e com a Ponte Preta chegando mais perto da vitória e somente quase surpreendida já nos acréscimos quando os gaúchos poderiam ter marcado. Para nós resultado até que justo, mas dois erros de Bruno Boschilia em impedimentos inexistentes do ataque campineiro e em situações de gol poderiam resultar em vitoria da macaca. Emerson de Almeida Ferreira houve-se bem no apito, algumas poucas faltas não marcadas, mas um bom comportamento no geral.
 
Flamengo 2x1 São Paulo serviu para afastar o Mengão da zona de rebaixamento e aumentar a pressão sobre o Tricolor do Morumbi. Apesar de jogar melhor o Flamengo, para nós, teve beneficio claro na arbitragem de Anderson Daronco por dois lances de área penal: O primeiro totalmente claro com Samir levando o braço á bola, e em mais um momento que nos mostra o “recuo” da arbitragem na marcação deste tipo de lance, e que antes a todos marcava e agora parece ter sido orientava a “segurar a onda”. E ainda na segunda etapa uma dupla situação penal após tiro de canto e com dois atacantes do Tricolor sendo agarrados e jogados ao chão. Teoricamente a arbitragem interferiu no resultado final.
 
Atlético Mineiro 2x1 Palmeiras jogaram grande partida e com momentos de domínio dividido nos noventa minutos e onde se o empate acontecesse não seria nenhuma injustiça. Os quinze minutos finais foram de muita emoção para os palmeirenses e com o gol não saindo por muito pouco. Apesar da derrota não se pode considerar um desastre para o Palmeiras nesta altura do campeonato. Boa arbitragem de Sandro Meira Ricci, sem maiores problemas, e com penalidade máxima para nos bem caracterizada marcada contra o Palmeiras, apesar de muitas opiniões divergentes.
 
Bola Murcha para aqueles que “inventaram” a nova regra de mão na bola ou bola na mão e que, pode ser que estejamos enganados, nesta semana de Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro devem ter “acordado” para a grande besteira e refeito a orientação. Foram pelo menos sete situações em que até a semana anterior as penalidades eram marcadas e agora, corretamente, não mais se marcaram. Não pode ser simples coincidência. E como deixaram de marcar o que não acontecia, que tal agora começar a marcar o que acontece e não marcam: as chamadas “faltinhas”...
 
 
A VIDA TEM MUITOS CAMINHOS, MAS SOMENTE UM É O VERDADEIRO...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440