Bola Cheia - 07/09

Bola Cheia para os jogadores do futebol brasileiro que nos últimos vinte dias passaram a “não mais cometer infrações de mão na bola” e somente deixaram “a bola bater em suas mãos ou braços”. Ou será que estamos enganados e já voltaram atrás nas absurdas orientações anteriores aos árbitros? Seria uma simples coincidência ou aprenderam que a regra em nada mudou?  Vocês perceberam também a drástica mudança?
 
Bola Cheia para Botafogo 4x0 Atlético Goianense reabilitando o “fogão” que vinha de resultados que o ameaçavam de sair do G4. Para se ter uma idéia, antes desta partida se iniciar o Botafogo era o quinto colocado e com a vitoria voltou a liderar a Série B. José Claudio Rocha Filho fez boa arbitragem, discreta, mas eficiente e sem nenhum problema de ordem técnica ou disciplinar.
 
Bola Cheia para Goiás 1x0 Palmeiras em partida de inúmeras alternativas, varias situações de gol, e péssima arbitragem que interferiu diretamente no resultado final. Um arbitro com pose de prepotência, se achando o senhor dos senhores, acertando onde alunos acertariam e errando grotescamente onde árbitro formado não poderia errar. Inimaginável seria o resultado final se houvesse correção da arbitragem. Logo aos 15 minutos deixou de marcar penalidade máxima clara favorável ao Goiás. Mais a frente, por ação de seu assistente Marcelo Barison anulou gol de Lucas Barrios em posição legal e não impedido. Ainda na primeira etapa nova penalidade máxima não assinalada para o Palmeiras e sobre Lucas Barrios. Na seqüência uma bola chutada para gol vai ao braço aberto de zagueiro do Goiás, e aqui a prova de que foi mudada a orientação para tais lances, pois nada marcou naquilo que muito se marcava rodadas atrás. E finalmente mais uma penalidade máxima, desta vez para o Goiás com zagueiro palmeirense “dando um rapa” rente ao chão e com seu braço na bola. Cinco lances capitais que mudaram os números da partida. Será convidado também a assistir próximas rodadas por TV o Sr. Leandro Pedro Vuaden?
 
Bola Cheia mesmo é de Leandro Pedro Vuaden que vem fazendo lambança em cima de lambança, e vide Goiás x Palmeiras, mas estranhamente ninguém o afasta. No “caminhão” de erros da quarta feira sobrou para o “mais fraquinho” Emerson Sobral, de Pernambuco, que arbitrou Ponte Preta x Cruzeiro e para alguns “bandeirinhas”.
 
Em partida absolutamente tranqüila, Santos 3x1 Chapecoense teve o domínio total e completo da equipe praiana e de poucas chances aos visitantes. É o Santos uma equipe que se acertou nas mãos de Dorival Junior e já mostra condições para brigar pelo G4. Arbitragem de Bruno Arleu de Araujo também bastante tranqüila, quase sem erros e um único que em nada interferiu no vencedor ao marcar penalidade máxima inexistente para o Santos e desperdiçada por Ricardo Oliveira. Apresentou ligeiros problemas de posicionamento e movimentação.
 
Bola Cheia para Anderson Daronco em Vitoria 1x2 Botafogo pela Serie B. Num momento de “vacas magras” para a arbitragem, o gaucho FIFA teve excelente comportamento quer seja nas questões técnicas, quer seja nas questões disciplinares. Conduziu a partida com tranqüilidade, marcou as faltas que aconteceram sem se preocupar com “estatísticas”, e praticamente nenhum erro.
 
Bola Cheia também para São Paulo 2x0 Internacional e com o tricolor bastante desfalcado, mas com a estréia de Rogério que, se é verdade que a primeira impressão é que fica, deverá fazer sucesso no futebol paulista e brasileiro. Muito bom futebol apresentado pela equipe de Don Osório e uma arbitragem de bom nível de Wilton Pereira Sampaio, pecando somente nas questões de colocação e movimentação, levando inclusive duas boladas e numa delas “armando” o lance do segundo gol da partida.
 
Bola Cheia para Flavio Rodrigues de Souza que em Atlético Paranaense 0x0 Joinvile fez excelente trabalho na arbitragem. Jogo extremamente difícil, jogadores tensos, disciplina difícil de ser controlada. Nenhum erro técnico, sete Cartões Amarelos e quatro Cartões Vermelhos corretamente aplicados. Se houver coerência merece mais oportunidades ao invés de sempre se escalar “os mesmos”.
 
Bola Cheia e nossos parabéns ao São José, de São José dos Campos que ao vencer na final ao São Paulo por 6x1 sagrou-se Campeão do Paulistão Feminino 2015. Marcelo Rogério, Tatiane Camargo e Fabrini Bevilaqua conduziram a partida sem nenhum problema.
 
Bola Cheia, mas muito cheia, para Palmeiras 3x3 Corinthians num clássico á antiga, de muitos gols, inúmeras defesas espetaculares de Fernando Prass e Cassio, enfim o futebol que o torcedor gosta. Gostou mais o torcedor corintiano, pois jogava fora de casa e mantém com sobras a liderança enquanto o torcedor palmeirense esperava ver a equipe aproximar-se do G4. Parabéns Palmeiras, Parabéns Corinthians e Parabéns Raphael Claus que conseguiu levar a bom termo sua missão, especialmente pelo mau momento que vive a arbitragem. Nenhum erro considerável, Cartões Amarelos bem aplicados, e enfim uma arbitragem de nível.
 
 
“APRENDA A NÃO SER NADA, PARA SER ALGUMA COISA”

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440