Bola Cheia - 30/11


“A ESPERANÇA TEM DUAS FILHAS LINDAS: A INDIGNAÇÃO E A CORAGEM; A INDIGNAÇÃO NOS ENSINA A NÃO ACEITAR AS COISAS COMO ESTÃO; A CORAGEM, A MUDÁ-LAS”...
 
Bola Cheia para, e cada um á sua maneira, Santos 1x0 Palmeiras na primeira partida decisiva da Copa do Brasil. Cada um á sua maneira, pois os santistas queriam jogo, jogavam com a habitual categoria da molecada, e do outro lado os palmeirenses que la foram para jogar por uma bola ou se essa bola não aparecesse “jogar confiando na volta no Allianz”. A “uma bola” apareceu, mas Jackson de cabeça perdeu. Uma decisão que teve de tudo que tem as grandes decisões, como muita catimba, pouca bola rolando, faltas pesadas, empurrões, xingamentos, penal não marcado, e até dois árbitros atuando. Resultado justo ate mais pelos inúmeros gols perdidos pelo Santos, mas contestado pelo menos em teoria pelo Palmeiras face ao penal não marcado em Barrios. Mas para falar em tese, ou teoria, não se esquecer do penal desperdiçado pelos donos da casa que faria a partida ter outros rumos se fosse convertida em gol logo aos 4 minutos de jogo. Mas para apimentar ainda mais a decisão final e voltando-se a falar em teses ou hipóteses, não esquecer que quando da não marcação do penal para o Palmeiras, aos 5 minutos da segunda etapa o 0x0 prevalecia e se assinalado e convertido aqui também se teria outro jogo na seqüência. Quanta ida e vinda não é mesmo? E olhem que nem observamos os “milagres” de São Fernando (Prass). Luiz Flavio também foi um arbitro “de decisão” marcando com acerto penalidade de Arouca em Ricardo Oliveira, ignorou por força de uma vantagem concedida uma agressão no rosto de Ricardo Oliveira (Jackson), “amarelou” Matheus Sales depois de “afinar” em duas outras situações anteriores do mesmo jogador, permitiu a jogadores do Palmeiras já “amarelados” continuar a bater, tipo Arouca e Lucas, mas “seu crime maior” foi não marcar a penalidade máxima de David Braz sobre Lucas Barrios e que exigiria a expulsão do zagueiro mudando os rumos da partida. Aos 23 sentiu contusão e foi substituído por Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza que na sua primeira participação tomou uma bolada em rebote da defesa verde, mas assumiu suas responsabilidades e não decepcionou. Expulsou com acerto a Lucas não merecendo contestações. Uma coisa para nos ficou muito clara pela animosidade observada em campo: Todo cuidado será pouco para a próxima e decisiva partida, pois, e anote ai, “o pau vai cantar” e um dos visados será Ricardo Oliveira. Aposta fácil é jogar que arbitragem não será paulista, mas quem será o Daronco que vai ser... Sorteado? Apesar de que tem um time, e não conto qual é, adoraria ter no apito um Wilton Pereira Sampaio...
 
Encerrados os campeonatos de base neste final de semana e nas cinco categorias cada equipe grande de São Paulo venceu uma. Somente o Audax “furou” vencendo o Sub15. Parabéns a Palmeiras no Sub 11, Santos no Sub 13, Audax no Sub 15, São Paulo no Sub 17 e Corinthians no Sub 20 que foram os campeões 2015. Destaque, porém para o Santos que conseguiu chegar ás cinco finais.
 
Bola Cheia para este esporte que arrebata multidões pela imprevisibilidade, que emociona multidões que vão das ofensas aos aplausos em frações de segundos, que cria heróis e vilões em poucos minutos, que abraça no final aos mesmos que apedrejou. São Paulo 3x2 Figueirense foi mais um dos exemplos de toda essa mutação repentina. Perdendo por 2x1 até os 45 minutos finais o tricolor empatou e que ainda não era resultado que lhe serviria, mas era retrato fiel de uma má atuação com muitos erros de passe e apupos de vinte mil torcedores. Mas aí, exatamente aos 49 minutos um chute a gol transformou os vilões em heróis abrindo novamente, e agora com toda certeza, a sonhada vaga na Libertadores da América. Gol, gol, gol improvável pelo que se viu em toda partida, mas gol do São Paulo e os 3x2. Um castigo para o Figueirense, mas isso aí é esse esporte repleto de emoções e contradições. Arbitragem de Wagner Reway de bom nível, de pequenos erros, mas sem a mínima interferência no resultado final.
 
E esse esporte é tão espetacular que, numa partida que decidiria rebaixamento para a Serie C a Bola Cheia ficou para o Ceará que levou 46.000 torcedores ao Castelão. Não era uma decisão de titulo, era a partida final de uma equipe que quase durante todo campeonato esteve no Z4, “engatou uma quarta” e não caiu. Ceará 1x0 Macaé mostraram cenas de alta emoção de torcedores chorando, rezando, e cada um á sua maneira empurrando o “vovô” cearense. Mogi Mirim, Boa, ABC e Macaé estarão na Série C 2016.   
 
Bola Cheia para o Linense, Campeão da Copa Paulista adquirindo vaga para a Copa do Brasil em 2016. Um empate sem gols contra o Ituano, e vitoria nos tiros desde o ponto penal. A AAGSP os cumprimenta.
 
Bola Cheia, pelo menos na penúltima rodada para Vasco, Coritiba, Goiás e Avaí que venceram seus jogos e chegam “vivos” á rodada final. Mas para a Bola Cheia se confirmar deverão ganhar seus jogos na rodada final.
 
Não catalogamos como Bola Murcha pelo fato de que o lance é passível de opiniões diversas e baseadas em vários aspectos das regras, mas para nós não foi bem marcada a penalidade máxima para o Vasco da Gama, e sobre Nenê. Entendendo que um Tiro Indireto seria o correto, e até pelo fato de não ter existido o contato físico. Entretanto outras opiniões e posições podem ser também fundamentadas por alguns textos e por aqueles que entenderam como penalidade máxima, mas e para quem esteve atento, Leandro Pedro Vuaden “afinou feio” novamente quando este mesmo Nenê agarrou com as duas mãos o pescoço do adversário, jogando-o ao chão e aquele que teve a “coragem” de marcar uma penalidade máxima discutível não teve a mesma coragem de “amarelar” o vascaíno. A razão? Seria seu terceiro Cartão Amarelo e ficaria de fora contra o Coritiba. Bah, mas que gaucho macho tche...
 
 
“EU ME IMPORTO DEMAIS, ESSE É O PROBLEMA...”
Leia mais
  1. BOLA CHEIA - 24/07/2017
  2. BOLA CHEIA - 17/07/2017
  3. BOLA CHEIA - 10/07/2017
  4. BOLA CHEIA - 03/07/2017
  5. BOLA CHEIA - 26/06/2017
  6. BOLA CHEIA - 19/06/2017
  7. BOLA CHEIA - 12/06/2017
  8. BOLA CHEIA - 05/06/2017
  9. BOLA CHEIA - 29/05/2017
  10. BOLA CHEIA - 22/05/2017
  11. BOLA CHEIA - 15/05/2017
  12. BOLA CHEIA 07/05
  13. BOLA CHEIA 01/05
  14. BOLA CHEIA - 24/04/2017
  15. BOLA CHEIA - 17/04/2017
  16. BOLA CHEIA 11/04
  17. BOLA CHEIA - 03/04/2017
  18. BOLA CHEIA - 27/03/2017
  19. BOLA CHEIA - 20/03/2017
  20. BOLA CHEIA 13/03
  21. BOLA CHEIA - 06/03/2017
  22. Bola Cheia - 26/02
  23. BOLA CHEIA - 20/02/2017
  24. BOLA CHEIA - 13/02/2017
  25. BOLA CHEIA - 06/02/2017
  26. BOLA CHEIA - 30/01/2017
  27. BOLA CHEIA - 23/01/2017
  28. BOLA CHEIA - 16/01
  29. BOLA CHEIA - 09/01/2017
  30. BOLA CHEIA - 19/12
  31. BOLA CHEIA - 12/12/2016
  32. BOLA CHEIA - 05/12
  33. BOLA CHEIA - 28/11/2016
  34. BOLA CHEIA - 21/11
  35. BOLA CHEIA - 14/11/2016
  36. Bola cheia - 07/11
  37. Bola cheia - 24/10
  38. BOLA CHEIA - 17/10
  39. BOLA CHEIA - 10/10
  40. Bola cheia - 03/10
  41. BOLA CHEIA - 26/09
  42. BOLA CHEIA - 19/09/2016
  43. BOLA CHEIA 12/09/2016
  44. BOLA CHEIA - 05/09
  45. BOLA CHEIA - 29/08/2016
  46. BOLA CHEIA - 22/08/2016
  47. BOLA CHEIA - 15/08/2016
  48. BOLA CHEIA - 08/08/2016
  49. BOLA CHEIA - 01/08/2016
  50. BOLA CHEIA - 25/07/2016
Anterior 1 2 3 4 5 6 Próximo

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440