BOLA CHEIA E BOLA MURCHA - 15/08/2016

BOLA CHEIA
 
Bola Cheia para o Brasil 0x0 África do Sul pelo futebol feminino em partida de uma equipe já classificada e outra já eliminada, mas totalmente motivada para conseguir um bom resultado. A Bola Cheia vai mais pela classificação tranquila que pelo resultado desta partida, mas Vadão aproveitou para usar varias reservas e lhes dar ritmo de disputa. Dominou a partida, poderia ter feito gols, e foi numa unica oportunidade "apertada" pelas africanas numa (e unica) defesa de Aline. Arbitragem da francesa Stéphanie Frappart com minimos erros e boa atuação no geral.
 
Bola Cheia, até que enfim, para Brasil 4x0 Dinamarca pelo futebol masculino e com a equipe jogando bom futebol, e longe do marasmo das atuações anteriores. As mudanças feitas deram bom resultado e a equipe apresentou-se mais solta, mais determinada, e principalmente com mais vontade de jogar. Foi bem mas pode apresentar muito mais pela qualidade de seus jogadores e  partir deste resultado chegar até mesmo ás finais. Arireza Fanani, do Irã não teve grande trabalho na partida e a conduziu satisfatoriamente. com pequenos erros.
 
Bola Cheia para Brasil 0x0 Australia pelo futebol feminino numa partida cheia de emoções, disputas fortes e leais, entrega absoluta, e um final que mexeu com todos que jogavam ou assistiam. Primeira etapa mais disputada e igual, mas com maior dominio brasileiro, segunda com dominio quase total de nossa equipe, mas com "estocadas" de muito perigo das australianas. Na prorrogação foi muito superior o Brasil, perdendo oportunidades para marcar e onde a presença de Cristiane poderia ter sido decisiva. Mas quis o destino que após 120 minutos ninguem marcasse e os Tiros Penais iriam decidir. Tudo ia bem ate Marta, acreditem, perder sua cobrança e nos deixar em situação dificil, mas a goleira Bárbara  "salvou a ela e ao país" defendendo logo em seguida. E finalmente para nós e para a "Rainha Marta" que não merecia outra coisa, Bárbara  volta a defender e liquidar com a fatura. Mas parabéns totais ás australianas que jogaram muito, poderiam ate ter vencido, mas "nossos anjos" estavam de plantão e nos premiaram com um 7x6 depois de 15 tiros cobrados. Carol Chenard na arbitragem teve boa etapa inicial, caiu muito na segunda, mas recuperou na prorrogação. Mas vimos penalidade maxima cometida por Formiga não assinalada aos 38 minutos e Andressa Alves merecendo Cartão Vermelho não recebido. Nos tiros penais Bárbara adiantou-se em todos antes das cobranças.
 
Bola Cheia para a Ponte Preta 2x0 Figueirense com a Macaca sempre superior ao adversário que pouco perigo levou á sua meta. Um jogo agradavel de ser assistido, algumas pequenas "rusgas" mas rapidamente controladas, e poucos chutes a gol. Arbitragem de Eduardo Valadão não comprometeu o espetaculo, calmo e tranquilo, pequenos erros  no geral, porém um de relevancia não assinalando penalidade maxima sobre Roger para a Ponte Preta. Este pelo menos não permitiu o arremessos laterais irregulares cobrados por Reinaldo, da Ponte Preta. Necessita corrigir algumas situações de posicionamento e movimentação, e estar mais "ligado" nas participações de seus Assistentes. Mostrou-se bem fisicamente e pode evoluir.
 
Bola Cheia para Brasil 2x0 Colombia pelo futebol masculino, mas que, de futebol mesmo teve somente um tempo de jogo, e certamente após terem sido todos advertidos depois da pancadaria do tempo inicial e onde o mundo viu como não se deve jogar uma partida de futebol. Uma arbitragem conivente, fraca disciplinarmente, perdidinho e sem saber o que fazer, "escondendo-se" nos Cartões Amarelos á equipe colombiana. Criaram vergonha na cara no tempo final e se viu, aí sim, um jogo de futebol e com a vitória importante da nossa seleção que após os empates iniciais já melhorou consideravelmente, equipe correndo e lutando, mostrando, agora sim, que quer chegar á finalissima. Preferimos não analisar o mau trabalho disciplinar do turco  Cuneyt Çakir, considerado o terceiro melhor árbitro do mundo.
 
Bola Cheia para o Grêmio 3x0 Corinthians numa ótima partida de futebol, especialmente na primeira etapa que teve nada mais na da menos que vinte e dois chutes a gol, defesas dos goleiros e oportunidades perdidas pelas duas equipes. Melhor o Grêmio no inicio da segunda etapa e até os 15 minutos "matou" o jogo. Depois disto acomodou-se e deu chances ao adversário, mas este não as aproveitou. De qualquer forma, mesmo pelo resultado elástico uma partida muito igual e com o Timão com mais posse de bola, mais chutes a gol, faltando a bola entrar. Bom o trabalho de Braulio Machado, de Santa Catarina, tanto tecnica como disciplinarmente, conduzindo a partida com muita tranquilidade. 
 
Bola Cheia para o Santos 3x0 Atlético Mineiro em mais um bom jogo de futebol, muitas chances de gol para ambas equipes, goleiros com defesas importantes, e resultado justo ao final. O resultado interrompeu série de vitórias dos mineiros e manteve o peixe cada vez mais forte candidato ao titulo nacional. Boa arbitragem de Wagner Nascimento Magalhães, sem nenhuma interferencia negativa, pequenos erros e mantendo seu bom momento na arbitragem.
 
Bola Cheia para o Palmeiras que foi ao Paraná e, na Arena da Baixada, quebrou a invencibilidade do Atlético Paranaense em seus domínios num resultado de extrema importancia para manutenção da liderança. Muito bem o Verdão na primeira etapa, assédio atleticano na etapa final e duas defesas portentosas do goleiro Jailson. Num campeonato "parelho" entre meia duzia de equipes brigando pela ponta, um resultado como este aumenta a força moral da equipe. No apito Jean Pierre Gonçalves, um árbitro sem condições de estar numa Série A, deixou de marcar penalidade máxima de braço na bola para o Palmeiras, definiu mal as distancias quando de cobranças de faltas com barreira, e se o jogo exigisse mais teriamos problemas. Somente esteve nesta partida graças á nova "formula" de sorteio da CBF.
 
 
"A PREPOTÊNCIA TE FAZ FORTE POR UM DIA.  A HUMILDADE PARA SEMPRE"



 
 
 
 
 
BOLA MURCHA
 
Bola Murcha para Paulo Roberto Falcão que acaba de ser dispensado pelo Internacional, e somente após cinco partidas sob seu comando. Claro que a Bola Murcha, a principio, deveria ser para o clube que o dispensou, mas e escrevemos em nossas colunas que Falcão foi incoerente ao aceitar voltar ao Inter e após, anos atrás, ter "detonado" os dirigentes da época e que agora, os mesmos, o trouxeram de volta. Um craque como Falcão, um ídolo como Falcão, um exemplo como Falcão, não pode sofrer humilhações, mas infelizmente procurou e achou...
 
Bola Murcha e muito feia para o paraense Dewson Freitas que "deliberadamente" não marcou a penalidade máxima de Cássio no jogo contra o Cruzeiro. Não se assustem com o "deliberadamente" pois por posição, proximidade do lance, visão ampla e carregando um escudo diferente como carrega viu e fingiu que não viu. Vamos "dar um chute": Será que não marcou por ter duvida de qual seria a punição (amarelo ou vermelho) para o goleiro e ter de "pagar mico" depois? É o mesmo da semana passada que não marcou penalidade máxima de Caju, no Santos x Flamengo, e foi "detonado" pelo Presidente flamenguista...
 
Bola Murcha para a goleira dos EUA Hope Solo que, no alto de sua prepotência e arrogância, depois de eliminada chamou as suécas de covardes. Nesta Olimpíada foi triplamente castigada: Pelo público que a "marcava" gritando "zika" em suas participações, pelo frango horroroso que tomou na competição e pelo meio das pernas, e pela eliminação e volta antecipada para casa. As americanas pela primeira vez, desde 1996, ficam fora de uma final olimpica no futebol feminino.
 
Bola Murcha para Rodolfo Toski Marques que em Sport 1x0 Flamengo além de não marcar "faltinhas", não marcou nem faltas e somente marcou "faltonas"; deu para entender a figura? E o que é pior: alguns dos que reclamaram (com procedencia, apesar de não deverem) foram "marcados" com Cartão Amarelo. Meu Deus, o que se quer fazer com nossa arbitragem?
 
Bola Murcha para o São Paulo 0x1 Botafogo, em pleno Morumbi, e mostrando o péssimo momento que vive o tricolor paulista. "Rabo de foguete" para o recém contratado Ricardo Gomes, que deixou exatamente o Botafogo no Z4 e que agora terá a missão de não levar o São Paulo á mesma situação, ja que com este resultado o fogão deixou as ultimas colocações.
 
 
"VELHOS CAMINHOS NÃO ABREM NOVAS PORTAS"
 
 

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440