BOLA CHEIA E BOLA MURCHA - 12/09

BOLA CHEIA
 
Bola Cheia para a defesa de Alecsandro que após ter sido o atleta condenado pelo Tribunal de Justiça da FPF por dois anos devido á dopping,  nao tendo as teses da defesa aceitas, vê agora a condenação cair por terra já que, a mesma tese não aceita na FPF foi absolutamente aceita pela WADA (Agência Mundial Antidoping) como "falso doping" do atleta. Já se dá como certa a revogação da pena e Alecsandro deve voltar de imediato aos gramados. Com o atleta "absolvido" (de que?) perguntamos: Como ficam os aspectos financeiros, morais, técnicos, etc.etc. Não caberia uma ação de perdas e danos?
 
Bola Cheia para o excelente Brasil 2x1 Colombia, e com nossa equipe, pelo menos até aqui, mostrando que voltou a ter organização, qualidade, determinação e nteresse pela camisa amarelinha. Um inicio quase perfeito ofensivamente, gol rápido e fruto de jogada ensaiada e domínio total das ações. Mesmo reorganizando-se a Colombia nao conseguia chegar á meta brasileira e seu goleiro era mero expectador, tendo a infelicidade de numa bola desviada de cabeça por Marquinhos levar o gol de empate.  Melhora colombiana na segunda fase mas sem que nossa seleção se apavorasse ou sentisse pressão, até que uma mexida de Tite (Felipe Coutinho)  muda novamente a cara do jogo e merecidamente vem o  segundo gol. Pode ate ser que as coisas mudem, mas ate aqui o que se viu é uma equipe absolutamente tranquila, organizada, solidária, e com lampejos dos bons tempos de nosso futebol. A continuar com tal postura o torcedor brasileiro voltará a sorrir...
 
Bola Cheia para o Botafogo que, de virtual rebaixado já sonha com a parte de cima da tabela após vencer o Fluminense pela contagem mínima. Curiosamente era tido como rebaixado enquanto Ricardo Gomes estava no comando técnico, reagiu e vem crescendo com Jair Ventura Filho. Em contra partida Ricardo Gomes, hoje no São Paulo, já começa a lutar contra as ultimas colocações.
 
Bola Cheia para o Palmeiras 2x1 são Paulo numa partida de extrema dificuldade para o líder, diferentemente do que muitos poderiam imaginar. Foi o São Paulo uma equipe briosa e lutadora, vendeu caro a derrota, e obrigou ao Palmeiras mudar sua postura na segunda etapa para conseguir o resultado positivo. Primeira etapa com o "São Paulo normal" e o Palmeiras "abaixo do que pode" e nada de mais interessante. Mas o "bicho pegou" na segunda etapa com as duas equipes saindo "para o tudo ou nada" no que foi mais feliz o Verdão especialmente após entrada de Gabriel Jesus que, mesmo sem muito participar, mudou as características da partida. Sandro Meira Ricci esteve bem na arbitragem, gol de Mina impedido "por TV" e na ação de Nadine Bastos, mas um erro imperdoável em lance que Dudu atrapalha reposição de bola do goleiro Denis. Marcou corretamente a infração mas, estranhamente "pede desculpas" e reinicia o jogo com bola ao chão. Sua grande qualidade foi a de estar sempre bem posicionado e absolutamente próximo das jogadas "mais divididas", evitando consequencias maiores relacionadas á indisciplinas.
 
Bola Cheia para o Corinthians 3x0 Sport onde, mesmo com limitações o Timão vai se agarrando ao G4, enquanto seu adversário cada vez mais chega coladinho  o Z4. Um primeiro tempo muito ruim, até com dominio dos pernambucanos, e um segundo tempo decidindo a partida em poucos minutos devido á subida de produção corinthiana. Vitoria merecida e a partir das alterações feitas por Cristovão Borges. Arbitragem meia boca do carioca João Batista de Arruda, marcando faltas inexistentes e deixando de marcar existentes, ás vezes confuso, sem lances polêmicos ou duvidas maiores, procedeu algumas "vantagens" que não foram "reais vantagens" beneficiando infratores, mas acabou por não interferir no resultado final.
 
Bola Cheia para o Flamengo que foi a Salvador, saiu perdendo e virou para cima do vitória vencendo-o por 2x1 num jogo de alta velocidade na primeira etapa e mais cadenciado na segunda, e nesta com superioridade flamenguista. Resultado totalmente justo que levou o Urubú, pelo menos no sabado, á mesma pontuação do lider Palmeiras. Muito boa a arbitragem de Vinicius Furlan apesar de isoladamente ter tido erros, que para sua felicidade não alteraram o vencedor da partida. Penalidade máxima para o Flamengo, deu toque fora da área, errou mas acabou não interferindo. Expulsou corretamente a Diego Renan, "atrapalhou" um lance de área do Flamengo e foi induzido a erro pelo Assistente Gustavo Rodrigues de Oliveira, em lance que poderia resultar em gol de Diego para os cariocas. Mas em momento algum perdeu o controle técnico e disciplinar da partida. Apesar das observações um bom trabalho.
 
Bola Cheia, finalmente, para o São Paulo 3x1 Figueirense voltando o tricolor a sentir o sabor de uma vitoria depois de 34 dias. Inicio de partida com o São Paulo empurrando o Figueirense no seu campo de defesa, perdendo algumas chances de gol, e na segunda etapa com a "saida do Figueirense" para o jogo, abriram-se os espaços e surgiram os gols. Não foi brilhante mas foi lutador, foi em busca da vitoria com determinação e entrega de seus jogadores. Arbitragem de Dewson Freitas tecnicamente boa e sem problemas, marcou bem penalidade máxima favoravel ao tricolor, da msma forma que acertou na marcada para o Figueirense, mas não teve critério nas questões disciplinares, omitindo-se em algumas situações.
 
Bola Cheia para Portuguesa Santista, Taboão da Serra, Desportivo Brasil e XV de Jaú que estarão na fase semifinal do Paulista da Segunda Divisão. Taboão da Serra, Desportivo Brasil e XV de Jaú conseguiram classificação jogando fora de seus dominios.
 
Bola Cheia para Santos 2x1 Corinthians numa partida de muitas alternativas, mantendo o Santos na briga pelas primeiras posições e o Corinthians perdendo oportunidade de encostar ainda mais nos primeiros colocados. Inicio ruim do Timão, com o Peixe dominando as ações mas sem muita objetividade. As coisas mudaram na segunda etapa com o Santos indo para cima e conseguindo a tão importante vitoria.
 
Bola Cheia para Raphael Claus que, em tempos de más arbitragens, em semana de muita polêmica e até agora discutida, conseguiu fazer uma arbitragem, se não perfeita, (que não existem) mas muito proxima da perfeição. Tecnicamente muito bem, penalidade máxima perfeitamente caracterizada e controle absoluto sobre a disciplina em campo. Que bom seria se todas as arbitragens tivessem tal nivel de aproveitamento positivo. Mereceu este desta   que positivo da coluna...
 
 
SEJA QUEM VOCE É, NÃO QUEM O MUNDO DESEJA QUE VOCE SEJA...
 
 
 

 
BOLA MURCHA
 
Para variar, mais uma da gloriosa Associação Portuguesa de Desportos que terá seu estádio do Canindé leiloado no proximo dia 7 de novembro. Uma pendencia de 2002 com o dirigente Carlinhos Duque que emprestou 900 mil á época, não recebeu, e hoje o valor atualizado chegou á 2,5 milhões de reais. Esta é uma das inumeras pendencias existentes, mas a grande maioria diz respeito á questões trabalhistas.
 
Bola Murcha para o Santos que, por uma decisão atípica da arbitragem, foi derrotado pelo Internacional por 2x1 distanciando-se mais do G4 e tirando os gaúchos do Z4. Jogo igual na primeira etapa e com chances iguais até a expulsão de Lucas Lima advertido com Cartão Amarelo quando de uma cobrança de falta a seu favor, e expulso com Cartão Amarelo seguido de Cartão Vermelho quando  da cobrança de um Tiro de Canto favorável á sua equipe. Entendeu o árbitro nas duas situações que houve "cera" e não perdoou. Certo? Errado? A Regra lhe possibilita tal interpretação, mas quantas vezes agiu dessa forma na carreira? E quantas vezes voltará a agir dessa forma nas próximas arbitragens? Se mantiver tal comportamento em situações coerentes aplaudiremos, mas e  nos cobrem futuramente, não conseguirá jamais manter tal postura. Rodrigo Batista Raposo nas demais situações se houve bem, mas viu dois atletas de Inter e Santos trocarem empurrões e tapas (depois da expulsão) e contemporizou.
 
Bola Murcha para Rodrigo Batista Raposo que foi "mais realista que o Rei", e apesar de respaldado pelas regras ter agido intempestivamente na expulsão de Lucas Lima. Até aceitamos o primeiro Cartão Amarelo por retardar a cobrança de infração a favor de sua equipe, mas o fato ocorrido com apenas 18 minutos de jogo é algo inusitado e atípico, porém o segundo e que gerou a expulsão é inadmissível pela forma que aconteceu. Ele Lucas Lima sai da bola, mas seu companheiro que vem para bater VEM CORRENDO E NÃO ANDANDO se é que podem nos entender. Não houve em hipótese alguma "perda de tempo" ou "cera deliberada" e para nós o que  pareceu foi uma jogada ensaiada da equipe. E mais: Santos 7 faltas e 5 Cartões, Inter 18 faltas e 4 Cartões. Santos 2 por retardar e 2 por reclamar além do Vermelho. Numeros que podem indicar certas... tendencias. Já foi afastado pela CBF.
 
Bola Murcha ainda para a Comissão de Arbitragem da CBF que, quando vem á publico informar que a orientação dada aos árbitros quando atletas "fizerem cera" é para "acrescentar o tempo perdido" está, digamos, "ligeiramente enganada" com relação aos preceitos das Regras...
 
Bola Murcha para Internacional de Bebedouro, Santacruzense e VOCEM que jogando como mandantes suas partidas decisivas, não conseguiram classificação para a semifinal do Paulista da Segunda Divisão.
 
Bola Mucha para o público de Matonense 0x1 Comercial pela Copa Paulista. Acreditem se quiserem: 12 pagantes...
 
Bola Murcha para Grêmio 0x0 Palmeiras num classico de muita força e correria, mas sem que as equipes mostrassem maior qualidade. Maior pressão gremista, mas pelo momento que atravessa nada saia bem feito, e o lider Palmeiras nitidamente foi a Porto Alegre jogar por um ponto ou, jogar por uma bola e vencer. Muitos erros de passe, gramado molhado estratégicamente também prejudicou melhores ações, e dir-se-ia que o "oxo" foi o melhor prêmio aos litigantes, sendo melhor para o Verdão que conseguiu manter a liderança isolada. Emerson Ferreira foi um arbitro regular, nada especial, mas conduziu bem a partida. Não gostamos, por detalhes e no geral, das participações dos assistentes Luis Antonio Barbosa e Herbert Vieira.
 
 
"NÃO DEIXE QUE O MEDO DE CAIR TE IMPEÇA DE VOAR"

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440