BOLA CHEIA E BOLA MURCHA - 19/09/2016

BOLA CHEIA
 
Bola Cheia para o Santos que foi ao Rio de Janeiro, enfrentou e venceu pela contagem minima ao emergente Botafogo, que desfalcado de cinco jogadores foi incompetente para vencer. Mas mesmo assim foi maior o domínio do Fogão que teve a infelicidade de sofrer o gol nos minutos iniciais da partida, e não conseguir, apesar do dominio, pelo menos o gol de empate. Paulo Vollkopf foi um árbitro confuso, critérios não definidos tecnica ou disciplinarmente, usa mal as tecnicas de arbitragem necessárias e não passa confiança aos jogadores. Duas penalidades máximas reclamadas pelo Botafogo, e entendemos que a sobre Camilo (empurrado pelas costas) existiu. Como o vimos pela primeira vez vamos aguardar uma nova oportunidade, mas pelo que aqui mostrou não nos pareceu árbitro para Série A do Brasileiro.
 
Bola Cheia para o São Paulo 1x0 Cruzeiro num resultado que alivia as pressões nos lados do Morumbi, e numa partida longe de ter agradado mas valendo pelos tres pontos conquistados num momento importante da competição. Primeiro tempo "meia boca" mas com maior ação dos tricolores e segunda etapa com o Cruzeiro indo para cima, tendo oportunidades para empatar mas não conseguindo seu intento. Muito boa arbitragem de Diego Almeida Real, tranquilo, discreto mas efetivo em suas decisões. Pequenos erros, controle total da indisciplina, penalidade máxima bem marcada para o São Paulo e correta a expulsão de Manoel. Se conseguir manter, poderá crescer na arbitragem. E mais uma vez um alerta á Flavio Rodrigues de Souza, árbitro reserva nesta ocasião e que, sempre que está na função procura exagerada aproximação com Treinadores, gesticulando e invariavelmente sorrindo como se estivesse num bate papo na esquina de casa. Tudo isto pode ser feito, mas quando se vai ao exagero pode trazer consequencias negativas no futuro.
 
Bola Cheia para o Palmeiras que foi á Arena Itaquera, venceu ao Corinthians por 2x0 e de quebra ainda tirou a invencibilidade de 34 jogos como mandante do Timão no novo estádio. Quarenta mil corintianos viram e se revoltaram com um time limitado, "foram pra cima" do Presidente em seu camarote e no campo a bola parecia "queimar " nos pés de alguns jogadores. O Palmeiras por sua vez, muito bem organizado, "mordendo" muito defensivamente, taticamente perfeito, e esperando as falhas do adversário para retomar a bola. Na segunda tapa mudou esta situação, o Timão apertou mais ao Verdão, mas a inoperância de seus atacantes a nada o levou, até que a expulsão de Léo Principe desmoronou de vez a equipe aproveitando-se bem o Palmeiras para "selar" o resultado. Arbitragem de Heber Roberto Lopes com um primeiro tempo confuso, decisões até curiosas, parecendo querer aparecer demais. "Acalmou-se" na segunda etapa, aí sim foi mais árbitro que "artista" apesar de errar no primeiro Cartão Amarelo de Léo Principe que acabou sendo expulso depois ao receber o segundo. Fez vistas grossas numa cotovelada criminosa de Vilson em Roger Guedes que merecia expulsão. Seu assistente Carlos Berkenbrok com dois erros em impedimentos, marcando um de Leandro Pereira inexistente e deixando de marcar outro de Dudu que existiu.
 
Bola Cheia para Portuguesa Santista e Desportivo Brasil que mesmo atuando fora de casa venceram seus adversários, Taboão da Serra e Xv de Jaú na primeira partida que decide o acesso para a A3 em 2017. Na teoria são os favoritos pois agora jogarão em casa e com apoio de seus torcedores.
 
Bola Cheia para Regildenia Holanda Moura e Tatiane Sacilotti Camargo que estarão na Jordania representando a arbitragem brasileira no Mundial Feminino Sub17. Boa sorte a elas.
 
Bola Cheia para o Santos 3x2 Santa Cruz mas com o Peixe sofrendo ate o ultimo minuto na obtenção do resultado. Partida fracionada por quedas de energia, chuva e campo escorregadio, primeiro tempo de ujma equipr s[o, mas somente um gol marcado pelos santistas.Segunda etapa mais equilibrada com o Santa Cruz buscando por duas vezes o empate, e somente perdendo num golaço de Vitor BUeno. Inicialmente um jogo facil mas que acabou se complicando e um empate não seria injusto. Arbitragem de Francisco Carlos Nascimento, o "Chicão das Alagoas" que não interferiu no resultado final mas mostrou-se varias vezes confuso e com um erro primário que repetiu varias vezes na partida: Não permitiu cobranças de Tiros de Canto mesmo que a bola estivesse tocando a linha parcialmente. Mais uma situação de falta de conhecimento (absurdo) e/ou orientação.
 
 
SE A PESSOA NÃO TE PROCUROU, É PORQUE VOCÊ NÃO FEZ FALTA...
 
 
 
 
 
BOLA MURCHA
 
Para José Claudio Rocha Filho pela penalidade máxima "mandrake" marcada em Figueirense 2x2 América e que acabou interferindo diretamente no resultado final. O choque provocado pelo atacante mereceria até Cartão Amarelo pela simulação, "enganou" José Claudio que marcou a penalidade máxima que foi convertida no segundo gol do Figueirense.
 
Bola Murcha para o Palmeiras 1x1 Flamengo pelo fato de que o Verdão não aproveitou as vantagens de mando de campo e um jogador a mais por todo segundo tempo para isolar-se com mais folga na liderança do Brasileirão. Inicio de jogo fulminante dos cariocas, empurrando o Palmeiras para seu campo de defesa, situação que somente se alterou quando da expulsão (correta) de Marcio Araujo. Segundo tempo de dominio total pameirense, mas numa bobeada acabou tomando o gol. Muito bem dirigida a equipe flamenguista, equipe forte e determinada e certamente uma das favoritas ao titulo. André Luis Freitas Castro, aliás como já era esperado, fez um primeiro tempo absolutamente ridículo, errando demais, inseguro, mostrando o erro de uma escala indevida.(E não se fale que é sorteio pois "alguém" colocou seu nome para concorrer, o que deveria ter sido evitado). Deu sorte quando Rever domina bola, após tiro de meta dentro de sua área, (irregularmente) o árbitro manda seguir e quase sai o gol de Gabriel Jesus (Erro absurdo e primário). Pouco melhor na segunda etapa, mas mesmo assim não agradou a ninguém. Expulsão correta de Marcio Araujo. André Luis não teve "peito", ao final, de autorizar cobrança de arremesso lateral no ultimo segundo de acréscimo, encerrando antes do tempo pré determinado.
 
Bola Murcha, mais uma vez, para aqueles que "suspendem preventivamente" e depois não sustentam as acusações: Desta feita a "vitima" foi Arouca que, como Alessandro acaba sendo liberdado da suspensão preventina por de dopping. Continuamos mantendo posição de que, atletas devem ser ressarcidos moral e financeiramente quando tais fatos ocorrerem, bem como seus clubes naquilo que lhes couber.
 
Bola Murcha para a Diretoria do Corinthians que logo após a derrota para o Palmeiras demitiu Cristovão Borges, como se, sem jogadores de qualidade pudesse ele fazer mais do que vinha fazendo. E Seu Presidente Roberto Andrade informando no mesmo momento que não contratará nenhum outro treinador até 2017, cometendo aliás mais um erro. Será que a torcida vai deixar?
 
Bola Murcha para Luis Flavio Oliveira que marcou, de maneira equivocada, penalidade máxima favoravel ao Flamengo no Pacaembú. Se analisarmos cada uma das situações passíveis para marcação em toques de mão, não acharemos nenhuma que se aplique a este marcado contra o Figueirense.
 
Bola Murcha para o São Paulo que, mesmo não jogando uma má partida, acabou sendo novamente derrotado e desta feita para o Atlético Paranaense por 1x0. Bola Murcha muito mais pelos tres pontos perdidos pois foi uma partida de igualdades e excelente participação dos dois goleiros. Mas para azar do tricolor, Denis que fazia grandes defesas acabou escorregando no gramado sintético da baixada e em função disto levou o gol atleticano. Arbitragem de muito bom nivel de Anderson Daronco sem que possa ser contestado em nenhuma de suas decisões.
 
E como já era esperado por todos mais uma decepção para o torcedor da Lusa do Canindé. Ao ser derrotada plo Tombense por 2x0 amargou mais um rebaixamento e agora foi parar na ultima Divisão do futebol Brasileiro. Depois disso nenhuma outra Divisão e provavelmente as portas se fechando. Seu companheiro de rebaixamento foi o Guaratinguetá, que, aliás, nem mais de Guaratinguetá é...
 
 
INCRIVEL COMO A POLITICA TEM O PODER DE TRANSFORMAR AS PESSOAS...
 
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                       
 
 
 
 

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440