BOLA CHEIA E BOLA MURCHA - 16/01

BOLA CHEIA
 
Bola Cheia para a Ponte Preta 6x1 Penapolense, com os campineiros eliminando, sem susto maior, seu adversário da Copinha. Primeira etapa de equilibrio e com o Penapolense em alguns momentos até melhor, mas não convertendo seu dominuo em gols. Na segunda etapa "sobrou" a Ponte Preta e construiu o resultado final com facilidade. Destaque-se o lamentável estado do "gramado" do Bento Abreu Sampaio Vidal, ridículo e um verdadeiro pasto. Leonardo Ferreira Lima foi um árbitro hoje mais "assentado", tranquilo e discreto e diferente de tempos outros. Conduziu sem nenhum problema e em nada interferiu, mas aqui também poderia estar escalado um árbitro jovem buscando afirmação.
 
Bola Cheia para o Mirassol que "de cara" mandou um dos papões, o Grêmio, de volta para casa na Copinha. Mesmo que não vá muito longe já deixou marcada sua participação. Aliás, bola cheia também para o surpreendente Batatais que passou para a fase seguinte, e o organizado Red Bull que mandou para casa o forte Vitória da Bahia.
 
Bola Cheia para o Botafogo RJ 3x0 Atlético Mineiro numa partida que teve, apenas, quinze minutos iniciais de algum futebol e, nesse espaço de tempo os mineiros fizeram dois gols e ainda tocaram mais duas bolas no travessão. Depois disso,  já que o Atlético se apresentou com equipe sub 17 o que se viu foi o Bota trocando passes, deixando a bola rolar e sem ser "apertado" pelo Galo Mineiro. Boa arbitragem de Lucas Bellote, melhor que quando o vimos pela primeira vez, movimentando-se mais nas proximidades das áreas, usando mais gestos e sinais, porém ainda não servindo pelas facilidades da partida, para uma conclusão final de sua eventual qualidade.
 
Bola Cheia, e muito cheia para a Chapecoense que não tomou conhecimento de um dos favoritos, o São Paulo, tirando-o da Copinha e com todos os méritos. Levou até os tiros penais de maneira consciente e venceu. Outra Bola Cheia é até aqui o Paulista de Jundiai, para alegria do Amigo Rafael Porcari, que em quatro jogos não levou nenhum gol, eliminando desta feita ao Atlético Goianense e perante um publico espetacular de 7.000 pessoas. O jundiaiense mostrou que, com equipe competitiva lotará seu estádio pois está ávido para rever o Galo do Japi mais forte como já foi no passado.
 
Bola Cheia para o Corinthians 5x1 Mantiqueira em partida sem nenhuma dificuldade para o Timão. O time interiorano mesmo perdendo não se atrevia a atacar e procurava defender-se para perder de pouco. Seu gol foi numa falta, nos acréscimos e marcado contra por corintiano, e o goleiro corintiano foi, entre todos os presentes, o mais privilegiado espectador. No apito Renan Carvalho Farias limitou-se a marcar faltas, mesmo passando batido em algumas clarissimas que não marcou, gestos e sinais que devem ser melhorados, assim como o uso do apito. Disciplinarmente em nada foi requisitado e no geral sua participação não nos chamou atenção para destaques mais positivos.
 
Bola Cheia para a surpreendente Chapecoense 3x2 Capivariano naquela que foi, para nós, a melhor partida da Copinha até aqui. Primeiro tempo igual, com a Chape aproveitando suas oportunidades de gol, e segundo tempo com uma blitz do excelente Capivariano que teve varias oportunidades de gol, e perdendo até uma penalidade máxima. Grande jogo, emoção até o final, e resultado justo apesar do bom futebol do Capivariano. Arbitragem normal de Vinicius Gonçalves Araujo que marcou, e bem, tres penalidades máximas a favor do Capivariano.
 
Bola Cheia para o Corinthians 2x1 Coritiba em partida de muitas dificuldades mas que fez o Timão avançar ainda mais na Copinha, aliás, até aqui o unico dos grandes de São Paulo a passar. Boa a equipe do Coritiba, teve algumas oportunidades e vendeu caro a derrota. E no futebol tradição é tudo, e o Corinthians, até por isso, na Copa São Paulo sempre chegando ás finais. Apitou Adriano Assis Miranda sem problemas.
 
Bola Cheia para o "recordar  é viver" propiciado pelos torcedores que lotaram o Estádio Conde Rodolfo Crespi, a famosa Rua Javari, durante Juventus 1x0 Avaí pela Copinha. Bonito se ver o antigo e acanhado estádio repleto de torcedores "empurrando" o Moleque Travesso para a vitória e classificação. Foi, sem duvida, uma "volta ao passado" em tempos de futebol romantico que não volta mais.
 
 
"SEJA FIEL À SUA ESSÊNCIA E JAMAIS VIVA PARA SIMPLESMENTE AGRADAR  AOS OUTROS"
 
 
                       
 
 
 
 
  
 
 
 
bola murcha
 
bola murcha para a FIFA e seu anúncio de Copa do Mundo com 48 participantes, o que encherá ainda mais os já recheados "bolsos" da entidade. Lembramos dos tempos da ARENA que onde ia mal se colocava um time no nacional, e atualmente da Copa são Paulo de Juniores que a cada ano cresce na quantidade e decresce violentamente na qualidade. Como dizem os mais ladinos: é o negócio chamado futebol... Assim será a partir de 2026 com mudança clara visando angariar votos para reeleição de seu presidente, e de quebra ganhar pelo menos 3 bilhões de reais a mais.
 
bola murcha para o São Paulo 0x0 Chapecoense num resultado surpreendente e que, após tiros penais, mandou um dos maiores favoritos da Copinha para casa. Foi melhor o São Paulo na partida, não conseguiu concretizar com gols,  mas os catarinenses mostraram-se muito coesos defensivamente, e claramente esperando decidir nos tiros penais. Uma estratégia que acabou dando certo, muito bem conduzida por seu Treinador e não "desenrolada" pelo tricolor. Rafael Felix da Silva foi, técnicamente e é, um bom árbitro, mas fica aqui o alerta: "se não fizer cara feia" vai ter muitos problemas na sua carreira. Mostra-se muito passivo, nem tanto por não punir, mas por permitir que suas partidas sejam "picadas" por faltas menores e não mostrar a todos, técnicas de inibição e que tem um árbitro no comando das ações. Coloca-se e movimenta-se muito bem e mostra boa condição física. Ótimos Alex Ang Ribeiro e Risser Jarussi, os Assistentes.
 
bola murcha para Demétrio do Atlético Paranaense que, na decisão por tiros desde o ponto penal contra o Ituano, e no tiro que decidiria "inventou" bater de cavadinha e meteu a bola no travessão desclassificando sua equipe. O grupo de atletas está feliz com ele?
 
bola murcha para o Palmeiras 0x1 Sport e num resultado que, pelo menos para nós, hora mais, hora menos, iria acontecer com o coletivamente fraco time palmeirense que cansou de tomar gols até de equipes inexpressivas na fase inicial. Encontrou no Sport uma equipe muito boa e bem dirigida e disse adeu a mais uma Copinha. Gostamos bastante do trabalho de Paulo Sergio dos Santos, tranquilo e conhecedor, sempre bem posicionado apesar de não ser rápido. Tem noção excelente para aplicação de reais vantagens e disciplinarmente houve-se bem. Marcou com acerto penalidade maxima para o Sport. Com 38 anos mostrou, para quem pensa diferente, que ter "rodagem" sabendo arbitrar é algo que não pode ser desprezado. O que se estranha é que um árbitro formado em 2004 não tivesse merecido, até aqui, maiores oportunidades.
 
bola murcha, e parece que adivinhamos semana passada, para o abandono do Maracanã: Os bustos do jornalista Mario Filho e do ex prefeito Mendes de Morais, além de TVs. e vários acessórios foram roubados durante a noite. Governo, Rio2016, Suderj "empurram" entre sí a responsabilidade sobre o complexo esportivo, lamentavelmente abandonado e ás escuras...
 
bola murcha também para o Santos que teve pífia participação na Copinha. Duas vitórias por 1x0, dois empates por 1x1 e a desclassificação perdendo do Avaí por 1x0. Entendido por todos como formador de jovens jogadores não confirmou e foi uma decepção...
 
bola murcha para as absurdas agressões á arbitragem e propiciadas por dirigentes, jogadores e torcedores do Agua Santa em partida contra o Juventude na Copinha. Quando de um gol anulado por impedimento um portão foi aberto, e pasmem, além de alguns torcedores o presidente do Clube, um tal Paulo Korek Farias invadiu o gramado, tendo este desferido um soco no rosto do Assistente Luis Felipe Prado Silva, e seguido tambem pelos jogadores Lucas e Genilson que também o agrediram. Lamentavel, independente de acerto ou erro no lance e o Agua Santa deve merecer todos os rigores disciplinares e também a expulsão das próximas Copinhas. Arbitrava Camilo Moraes Zarpelão que, após as agressões, acabou por confirmar o gol que deu o empate ao Agua Santa. Depois, veio o castigo e a eliminação nos tiros desde o ponto penal.
 
bola murcha para Leonardo Ferreira Lima e Renato Assis Miranda em Botafogo 2x1 Mirassol , resultado que tirou o time interiorano da Copinha. O primeiro gol botafoguense, lance dificil, mas foi irregular por impedimento não assinalado, e o segundo em uma penalidade máxima inexistente, foi simulação, e o zagueiro foi expulso, acabando  com o sonho do bom Mirassol. Uma jornada infeliz de Leonardo que vinha de boa arbitragem e por nós elogiado na ocasião.
 
 
"TODO HOMEM QUE SE VENDE RECEBE MAIS DO QUE VALE"
 
 

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440