BOLA CHEIA - 23/01/2017

BOLA CHEIA
 
Bola Cheia para o Bragantino 1x0 Juventude numa partida sem grandes emoções, gol marcado nos minutos iniciais pelo Massa Bruta, e pouca reação dos gauchos. Bragantino optou por defender o resultado, e seu adversário pressionou sem conseguir pelo menos um empate. Arbitrou Marcio Roberto Soares, foi bem, necessitando somente critérios mais retos em lanches de carrinhos.
 
Bola Cheia para o Corinthians 3x1 Internacional numa primeira etapa de "vareio" de bola corinthiano e "sono profundo" dos gauchos. Três gols marcados, e poderiam ser seis num Inter decepcionante, especialmente para quem chegou até aqui na competição. Segunda etapa de administração dos paulistas, e mesmo assim com maior domínio das ações. E o Timão, para variar, vai caminhando mais uma vez para outra fase e, agora sim, deverá ter  "pedreira" pela frente e no bom Flamengo. Apitou Vinicius Gonçalves Araújo que deixou de marcar algumas faltas, mas "embarcou" em algumas simulações. Penalidade maxima pareceu-nos ter existido, mas expulsão (pelo clima tranquilo da partida) entendemos com algum exagero e onde uma advertencia verbal resolveria o problema.
 
Bola Cheia pra Felipe Melo em sua apresentação no Palmeiras. Nosso futebol seria muito mais forte se existissem pessoas com tal personalidade. Fala o que pensa, e, pelo menos fora de campo ja ganhou nosso respeito. "Matou" com classe e categoria às maldades da imprensa sensacionalista e fez que cada um ficasse em seu devido lugar e o respeitasse. E rrou, porém em falar de "porradas" e tapas em uruguaios. A ação de na sua apresentação fazer também, e os mostrando publicamente, apresentação de seus país, esposa e filhos é no futebol algo incomum. Parabéns Felipe.Nunca vimos uma entrevista decente, honesta e sem subterfúgios como esta.
 
Bola Cheia para o Paulista 1x0 Chapecoense com os jundiaienses, merecidamente, chegando ás semi-finais da Copinha. Primeiro tempo de dominio completo do Galo, explorando contra ataques com muita velocidade e dando poucas chances  aos catarinenses. Fez 1x0, se fechou mais e se viu totalmente dominado pela Chapecoense na etapa final. Se mereceu o 1x0 na primeira etapa, na segunda a Chape merecia pelo menos o empate. Caiu demais fisicamente o time da casa mas conseguiu a trancos e barrancos a vantagem até o final. Salim Fende Chaves teve duas etapas distintas e muito bem na primeira, com poucos erros técnicos mas normais á arbitragem. Concedeu boas vantagens e não interferiu, tecnicamente, no resultado da partida. Disciplinarmente porém omitiu-se na segunda etapa com os jogadores Acorsi e Zuquinha do Paulista que, já "amarelados" mereceram mais um e consequente expulsão e não mostrou-se seguro nas decisões. Muito ruim aqui o Assistente Leonardo Vila na primeira etapa errando feio em três situações de impedimento do ataque do Paulista. Salim necessita maior orientação com relação ao uso de técnicas de arbitragem, especialmente uso e intensidade do apito para cada uma das situações.
 
Bola Cheia para a forma encontrada pela CBF na elevação/redução dos limites de idade para participação de seus árbitros. Nas Séries A e B poderão ter até 50 anos, mas nas demais somente até 42. Ou seja, aproveita-se a maior experiencia nas principais divisões e não se permite nas demais. Nestas, a medida inteligente de redução. Que tal a mesma medida em São Paulo que limitou todos em 45 anos, e não serão cometidas injustiças?
 
Bola Cheia para o Batatais que nos tiros desde o ponto penal eliminou o Botafogo RJ da Copinha e foi às semifinais. Entrou para isso e conseguiu isso, pois os cariocas estiveram melhor na partida e o Fantasma da Mogiana teve uma única oportunidade de gol. Mas o grande momento, ou os grandes momentos foram propiciados pelo goleiro Gerson em suas duas emocionantes entrevistas e na defesa de três tiros penais. Momentos de extrema emoção foram vividos por quem assistiu. Emocionante talvez seja pouco para se definir. E no jogo otimo trabalho de José Claudio da Rocha Filho, mas com excessão nos tiros desde o ponto penal, todos, sem excessão irregulares. E na pessoa de Luis Edmar Remondini, pelos trabalhos sociais e esportivos que realiza na cidade, enviamos a  homenagem da AAGSP à cidade de Batatais.
 
Bola Cheia para o Juventus 1x0 Bragantino resultado que levou o Moleque Travesso a mais uma semifinal. Jogo dificil em campo "pesado" para dificultar, mais busca do ataque juventino e poucas chegadas do Massa Bruta, exceto nos minutos finais. Mais uma vez a Rua Javari lotada e resultado, até certo ponto, justo. Até certo ponto pois o inseguro e as vezes confuso árbitro Daniel Gonçalves  Serrano não teve "peito" para mandar voltar a penalidade maxima (bem marcada) espalmada pelo goleiro juventino e com invasão de seu zagueiro salvando o gol no rebote. Não gostamos da arbitragem quer tecnica, quer disciplinarmente, não marcou inumeras faltas na primeira etapa especialmente, omitiu-se com meias arriadas e caneleiras expostas sem dar a devida proteção, muito gesto, muita fala, ou por ser jovem sentiu a "casa cheia" ou é duvidosa sua condição.
 
Bola Cheia para o Corinthians 2x1 Flamengo em grande jogo, de muita disputa e determinação e onde, além do bom futebol, mais uma vez a "mística" da Copinha se fez presente com a classificação do Timão. Resultado justo, mas que tanto um como outro poderiam ter a seu favor. Arbitragem perfeita de Thiago Duarte Peixoto, mas até o 35o. minuto do segunda etapa, quando deixou de marcar penalidade máxima, indiscutível, para o Corinthians.
 
Bola Cheia para o Paulista 5x1 Batatais em resultado, a principio surpreendente, mas que selou o sonho de toda uma cidade em estar em mais uma final da Copa São Paulo de Juniores e após vinte anos. Jogo igual na primeira etapa com chances para os dois lados, melhor o Paulista até o gol e pressão do Batatais na sequencia. Já na segunda etapa superioridade do Galo do Japi e a goleada ao final. Lucas Belloti não teve grandes problemas na partida, até pelas facilidades encontradas.
 
Bola Cheia para o Corinthians 3x0 Juventus resultado que coloca o Timão na sua vigésima final de Copa São Paulo, e com todos os meritos. Até onde pode o Moleque Travesso "encarou" mas a maior qualidade dos alvi negros foi se fazendo definida, até o resultado final. E com as noticias de irregularidades no Paulista de Jundiai, aguarda-se definição se existiram ou não, e se teremos Paulista ou Batatais na finalissima. Não se pode dizer que Salim Fende Chaves não foi bem na arbitragem, e isto seria injusto, mas não nos agradam os critérios disciplinares deste árbitro e aqui mais uma vez isto se fez presente. Sua postura também merece correções, bem como os detalhes de colocação, movimentação e posicionamento, aliás, detalhe que vimos na maioria dos árbitros da Copinha.
 
 
"O MELHOR GUIA DA RAZÃO PRÁTICA, É A MORAL..."

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440