BOLA CHEIA E BOLA MURCHA - 27/03/2017

BOLA CHEIA
 
BOLA CHEIA para a Portuguesa de Desportos 2x1 Rio Claro com a Lusa, finalmente, e depois de quatro "pauladas seguidas" conseguido a vitória que a tirou da zona do rebaixamento. Até que um bom jogo, se não de tecnica, de muita disposição com o Rio Claro vendendo caro a derrota que o tirou da zona de classificação da A2. Thiago Luis Scarascati arbitrou, não interferiu no resultado, marcou bem penalidase máxima para a Portuguesa, mas não nos parece um árbitro em que se possa apostar no futuro.
 
BOLA CHEIA para Santo André 3x3 Ponte Preta  em partida de atipicidades pelas falhas defensivas das duas equipes, por um gol contra marcado por cada uma delas, pelas "viradas" de resultado numérico, mas que como partida movimentada e interessante acabou agradando a quem assistiu, não agradando porém a nenhuma das equipes. O Santo André na tentativa de escapar do perigo de rebaixamento, e a Ponte Preta que poderia ter consolidado sua classificação não cedesse o empate no minuto final. Mas foi sim uma bola cheia pelas reviravoltas apresentadas, tanto positivas como negativamente ao longo dos noventa minutos. Raphael Klaus teve arbitragem dentro dos seus "padrões normais" de não marcação de inumeras infrações. No restante nada interferiu.
 
BOLA CHEIA para o Palmeiras 2x0 Mirassol com o Verdão reafirmando sua posição de lider geral da competição, mas desta feita numa partida sem muita empolgação. Apenas quatro titulares na equipe a fizeram desentrosada e demorando muito para se acertar mais na partida. Rafael Gomes Felix arbitrou uma partida de facílima condução, teve pequenos erros, mas não se comprometeu.
 
BOLA CHEIA para o Santos que foi a Sorocaba cercado de muita desconfiança, mas acabou vencendo bem ao São Bento por 2x0 e "de uma hora para outra" virando o lider se deu grupo. Assistimos parcialmente a partida, e com bom trabalho de Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza.
 
BOLA CHEIA para o Brasil que foi ao histórico Estádio Centenario em Montevideu e não tomou conhecimento da Celeste Olimpica, vencendo-a por 4x1. Vitoria incontestavel, referendando o espetacular trabalho de Tite no seu comando, e mostrando mais uma vez que, com seriedade, ainda brigamos com os melhores do mundo. Equipe bem arrumada, jogadores com extrema determinação, e Treinador que "canta" as jogadas minuto a minuto. E um grande destaque desta partida foi a atuação de Paulinho, antes desacreditado e que graças a Tite retornou á Seleção "acabando" com o jogo. Arbitragem de Patricio Loustau com pequenos erros, bom controle sobre os jogadores, e nenhuma interferência no resultado final.
 
BOLA CHEIA para o retorno de Oswaldo Alvares, o Vadão, para a direção técnica do Guarani. É competente, tem identidade com o clube, e com certeza trará bons momentos para a equipe campineira. Já na sua estréia venceu ao Agua Santa, em Diadema.
 
 
"OS OLHOS SÃO INÚTEIS, QUANDO A MENTE É CEGA"
 
  
 
bola murcha
 
bola murcha para o "ex chinelinho" Roger Flores, hoje apresentador no SPORTV. Na semana passada quando, na análise da rodada, se falava do Campeonato de Santa Catarina o narrador diz a ele: Nesta rodada foram 25 gols no campeonato, faça aí a média Roger". E eis que, sem titubear, vem a resposta: "São 3 por jogo, a média é de 3 gols por jogo, pois 25 divididos por 5 da 3"...
 
bola murcha ou "zica": Alan Mineiro, Lucca e Claudinho são jogadores do Corinthians que gasta 3 milhões anuais com os mesmos. Derrota(1x0) para a Ferroviária, empate(1x1) com a Ponte Preta, e derrota(2x0) para o Santo André foram todos com gols marcados pelos três emprestados pelo clube aos adversários...
 
bola murcha para o Campeonato Carioca que tem média de 2.780 pagantes por jogo, e 23% de ocupação dos estádios. Curiosamente a FERJ até aqui lucrou mais em taxas que o Flamengo em arrecadação. E a bola é tão murcha que Flamengo e Vasco foram jogar "partida do Campeonato Carioca" em Brasilia...
 
bola murcha para a validação do gol do Linense na partida contra o Ituano, pois discordo frontalmente, apesar de respeitar, da opinião de Leonardo Gaciba para o lance, o entendendo regular face uma mudança nas regras. Tendo mudado a regra ou não, não se pode fugir do que a imagem nos mostrou: Atacante tem posição de impedimento? Tem. Atacante tenta tocar na bola? Tenta com o pé, mas não a toca. Se tentou, participou ativamente? Sim. No momento em que tentou tocar o goleiro pulava (EM SUA DIREÇÃO) para fazer a defesa? Sim. Se agora além da participação deve existir "disputa pela bola", a ação do atacante tentando tocar e a ação do goleiro tentando defender não caracterizou disputa? Claro que sim, e "na regra antiga" ou "na regra nova" o gol foi irregular.
 
bola murcha para o Corinthians 1x1 Red Bull, com o Timão completando sua quarta partida seguida sem vencer, apesar de que nesta oportunidade com varios desfalques. Maior dominio na primeira etapa do Corinthians, mas com o adversário, curiosamente, tendo maiores oportunidades para marcar. Melhor no tempo final, fez seu gol e tudo parecia caminhar para mais uma das "goleadas" costumeiras e até pelo fato de que os campineiros jogavam com um a menos devido á expulsão do goleiro Saulo, mas um gol aos 46 minutos deu numeros iguais ao marcador. Arbitragem de Salim Fende Chaves não repetindo boas atuações, não interferiu mas foi alvo de muitas reclamações de jogadores e comissões técnicas, e a ninguém punido  como deveria. Conversava demais e a cada decisão "cresciam" os jogadores sobre a arbitragem, especialmente na primeira etapa onde a falta de Cartões Amarelos o fazia desacreditado. Expulsou corretamente ao goleiro Saulo por usar a mão fora de sua área, ele que era o unico "amarelado" e por pratica de cera; anulou corretamente gol de Léo Jabá por impedimento e com a indicação de Risser Jarussi Correia.
 
bola murcha para o Palmeiras 2x2 Audax numa partida cheia de fatos pitorescos: Audax com maior posse de bola na primeira etapa; chutou a gol do Palmeiras inumeras vezes; não acertou nenhum destes chutes no gol e Jailson não fez nenhuma defesa. Na segunda etapa melhorou o Palmeiras chutando mais a gol que o adversário, perdendo algumas chances de gol, e o Audax chutando duas bolas em direção á meta alviverde. Jailson continuou sem fazer nenhuma defesa na partida e tomou dois gols. Detalhes á parte não foi boa a apresentação dos reservas palmeirenses e a partida serviu para "zerar" seus atletas pendurados com Cartões Amarelos. Trabalho com erros comuns á arbitragem de Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, e este curiosamente até marcando faltas inexistentes e na contramão do que se pratica atualmente; permitiu alguns meiões irregulares do Palmeiras e até podendo estar certo, mas não deveria ter enccerrado a partida da forma que encerrou provocando inúmeros protestos.
 
bola murcha para São Paulo 1x1 Corinthians numa partida de baixa qualidade técnica mas de muita disposição e luta, ficando porém muito longe do que se espera de um clássico como é o Majestoso. São Paulo se atirando mais ofensivamente e o Corinthians priorizando sua defesa e tentando armar contra ataques. Ao final e pelo mau futebol de ambas equipes o empate acabou "premiando" aos dois e tirando do Timão a chance de ser o campeão geral da primeira fase. Arbitragem de Vinicius Furlan foi, mais uma vez, exatamente igual á varias que aqui comentamos e que quando as partidas nao exigem sempre vai bem, mas basta um pouco de dificuldade se perde totalmente. Desta feita tecnicamente não teve erros determinantes, anulou bem a gol corinthiano,  mas quando o jogo necessitou de alguém para controlar disciplinarmente não teve. "Afinou" ao não expuulsar Welington Nem por entrada (tesoura) violenta no adversário, teve oportunidade novamente com o mesmo jogador e novamente "afinou". Pablo também já "amarelado" foi novamente violento e S.Sa. fez vistas grossas. Se o Cartão Vermelho surgisse na primeira ocasião para Welington Nem não precisaria aplicar os nove Cartões Amarelos que aplicou. Mas eis que no terceiro minuto dos acréscimos resolveu expulsar Welington Nem que, acreditem. nada fez. Novamente, e é uma pena, mostrou-se árbitro para partidas sem grau de dificuldade. E nesta partida Salim Fende Chaves, contestado pelo Corinthians em sua ultima partida no meio da semana contra o Red Bull, estava erroneamente escalado com Quarto Árbitro e na ultima hora foi substituido por Thiago Scarascati. Se não o fosse trocado, o "barulho" seria muito maior na partida.
 
 
"NEM SEMPRE QUEM ESTÁ A SEU LADO, ESTÁ COM VOCÊ"

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440