BOLA CHEIA E BOLA MURCHA - 14/08/2017

BOLA CHEIA 
 
BOLA CHEIA para o Amigo Milton Cruz contratado pelo Figueirense e que terá a dificil missão de livrar a equipe da Série B. Na verdade, é mais "uma fria" que um "bom negócio" pela situação da equipe que é fraca e cheia de problemas. Mas Milton tem de se sair bem nesta missão e firmar-se definitivamente na função. Torcemos, e muito, pelo Amigo... 
 
BOLA CHEIA para o Santos 1x0 Atlético Paranaense. mas pela classificação e não pelo mau futebol que jogou. Dominado inteiramente pelos paranaenses, contou com as traves, gol salvo sobre a linha e os milagres de Vanderlei. Mas de qualquer forma avançou e teve méritos para isso pois venceu a primeira no Paraná por 3x2. E agora estará enfrentando ao Barcelona de Guayaquil, o algoz palmeirense na competição, e aí sim poder-se-á "medir" a força dos equatorianos ou a ineficiência dos palmeirenses. E mais uma vez serviu esta partida para reafirmar Vanderlei, ao lado de Cassio como os melhores goleiros do país, sem que se entenda sua não convocação. Mauro Viglian, da Argentina, arbitrou sem maiores problemas, e bem no estilo Libertadores, com apenas um Cartao Amarelo aplicado na partida. 
 
BOLA CHEIA para o São Paulo 3x2 Cruzeiro num bom jogo de futebol, e com o Tricolor, entre altos e baixos nos noventa minutos, fazendo por merecer o resultado que o tira momentaneamente da zona de rebaixamento. Foi o Cruzeiro uma equipe que, apesar de desfalcada, mostrou-se equilibrada e vendeu caro a derrota, perdendo inclusive uma penalidade maxima cobrada por Sassá na trave. E mais uma vez a torcida tricolor faz seu papel e quebra novamente o recorde do Brasileirão, comparecendo com 56.052 pessoas e "empurrando" a equipe. Arbitragem de Rafael Traci, que vai ser muito contestada, teve excelentes momentos e momentos de muita duvida. Basicamente estava bem  no jogo, tecnica e disciplinarmente, marcou bem penalidade maxima para o Cruzeiro, privilegou as vantagens mas perdendo algumas onde as faltas deveriam ser marcadas, e não foram, marcou penalidade máxima sobre Gilberto que, para nós, inexistiu e com o atacante "saltando" antes do leve contato, Expulsou corretamente Lucas Pratto e Digão, ambos com Cartão Amarelo seguido de Cartão Vermelho. Independentemente de eventuais erros ou acertos é arbitro que está confiante, muito bem fisicamente, muito boa colocação e movimentação, e ótimo controle do jogo.
 
Aleluia... Aleluia... Aleluia... Foi marcada na ultima rodada do Brasileirão, e no jogo entre Atlético Mineiro x Flamengo, uma infração que acontece, no mínimo, cinco vezes por jogo sem que os árbitros tomem vergonha na cara para marcar. Elmo Resende Cunha afinal, marcou uma retenção de bola (11 segundos) do goleiro Vitor do Galo Mineiro. Aleluia...
 
 
"NENHUM OBSTÁCULO SERÁ GRANDE, SE SUA VONTADE DE VENCER FOR MAIOR"
 
 
bola murcha
 
bola murcha para Modesto Roma Júnior, punido pelo STJD em 120 dias e pagamento de multa de R$ 100 mil. A punição, correta aliás, deve-se á sua acusação ao reporter Eric Faria de ter interferido na anulação de penalidade máxima em partida do Santos contra o Flamengo. Não se surpreendam por termos entendido como correta a punição, pois na verdade fez uma acusação falsa. Se fizesse a acusação "pelos caminhos certos" o papo seria outro... Mas como aqui é Brasil, uma liminar ja reduziu a pena para 15 dias por conta do tal "efeito suspensivo"...
 
bola murcha para o Palmeiras 1x0 Barcelona com o Verdão sendo eliminado da Libertadores nos tiros desde o ponto penal. Acaba assim, melancolicamente, o ano de 2017 para aquele que, no inicio do ano dizia-se que a tudo ganharia. Dinheiro não faltou, muito se contratou, mas no fim nada deu certo. Nesta partida um primeiro tempo ridículo, sem nada que apontasse para uma vitória, e aí já sua torcida prevendo o pior. E o pior acabou acontecendo mesmo com a equipe melhorando na segunda etapa e rapidamente marcando seu gol. Mas quando está escrito, está escrito, Mina contundiu-se e saiu, Dudu contundiu-se e saiu, Moisés terminou a partida se "arrastando" tanto quanto Bruno Henrique em sintomas claros de que a noite não seria verde. Mas é futebol e futebol é esporte de imprevisibilidades, e geralmente vence quem joga e não quem vai a campo como favorito. Nestor Pitana já não é mais aquele árbitro que tempos atrás nos encantava com suas atuações. Milongueiro e conversador, não reprimiu a cera do Barcelona, acresceu ridiculamente tres minutos na etapa inicial, deixou de marcar penalidade máxima cometida por Edu Dracena, e permitiu ao goleiro Equatoriano um avanço exagerado na primeira penalidade máxima por ele defendida. Não perdeu o Palmeiras por influência da arbitragem, mas sim por seus erros, mas Pitana deixou muito a desejar.
 
bola murcha para quem "inventou" os cruzamentos em bolas paradas,alçadas para área adversária nos jogos do Palmeiras. Será que ninguém percebeu ainda que todas são cobradas por Egídio e que todas são rechaçadas pelos defensores? Hoje foram 22 erradas e 3 certas... Errou, como sempre, a grande maioria das cobranças e de quebra ainda perdeu a ultima penalidade...
 
bola murcha para explicação de Cuca quando cobrado por ter definido Egídio como um dos batedores de tiro penal: "Ele foi pelo fato de que outros quando consultados não mostraram confiança para bater". Um time que paga o que paga aos jogadores, e jogadores que ganham fortunas não podem "amarelar" nos momentos decisivos. Se verdadeira a afirmação do treinador, não é somente Felipe Melo que precisa de "bilhete azul. E Egídio deve ser cumprimentado pois não "amarelou" e assumiu o que os demais "fugiram".
 
bola murcha para Tite que, apesar de todo credito que tem, e tomara que continue estando certo em suas decisões, mas convocar Giuliano, Taison  e Rodrigo Caio e "deixar em casa"  Jô, Pedro Geromel, e especialmente o goleiro Vanderlei nos parece equivocado pois lá deveria estar ao lado de Cássio.
 
bola murcha para o Mogi Mirim que acaba de desistir da continuidade da Serie C do Brasileiro. Sem condições de pagar seus atletas.com atrasos de até sete meses, sofrerá agora fortes sanções do STJD e a tendencia é de, infelizmente, "sumir do mapa". No sabado nem entrou em campo para jogar. Na verdade, após o falecimento do Presidente Wilson de Barros, anos atrás, nunca mais (nem com Rivaldo) o Sapão se acertou. Agora deve ser o fim...
 
bola murcha para o Vasco 1x1 Palmeiras uma partida que mostrou bem o péssimo momento que vivem as duas equipes. Futebol de baixa qualidade, erros constantes de passes e finalizações (poucas), nenhuma inspiração apesar de muita transpiração, e cá para nós o 0x0 refletiria melhor o que foi a partida. E acreditem se quiserem, o descontrole (a menos que exista razão maior) é tanto pelos lados esmeraldinos que seu treinador colocou Borja na equipe aos exatos "47" minutos da segunda etapa, (quando o Vasco da Gama empatou) tendo sido jogado mais 1 (um) minuto. Se o jogo foi ruim, pelo menos tivemos uma arbitragem muito boa do paranaense Paulo Roberto Alves Junior, praticamente sem erros técnicos ou disciplinares, e "anulando" por ação de seus Assistentes a dois gols marcados pelo Vasco da Gama em condições irregulares. Foi sua segunda apresentação na Série A, e fez por merecer continuidade no Brasileirão. A boa colaboração nas laterais foi dada por Bruno Boshillia e Vitor Hugo Imazu.
 
bola murcha para Leandro Pedro Vuaden  que, em tese, impediu a vitoria do Sport sobre a Ponte Preta ao não marcar penalidade máxima, mão na bola do zagueiro pontepretano Naldo, aliás "mão na bola" indiscutível.
 
 
"O MAIOR PROBLEMA EM ACREDITAR NAS PESSOAS ERRADAS, É QUE UM DIA VOCÊ ACABA NÃO ACREDITANDO MAIS EM NINGUÉM..."

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440