BOLA MURCHA 13/11

bola murcha para o Palmeiras (aquele que iria ganhar tudo no ano, lembram?) e que mais uma vez a todos decepciona, reabilitando, desta vez o pior mandante do Campeonato Brasileiro. Com um lado esquerdo defensivo ridículo (e faz tempo isso) levando bolas nas costas fez com que o Vitória vencesse em seus domínios depois de três meses. O que se estranha é o fato de que Egídio (principal canal das derrotas) continua partida a partida como titular absoluto e mais, é o "cobrador oficial" das faltas laterais á área adversaria e em todas coloca sempre a bola na cabeça de adversários e sem que ninguém "enxergue" o fato. Nem mesmo o fato de, novamente, ter sido prejudicado pela arbitragem com a anulação de gol legítimo de Guerra podem justificar o vexame. Dawson Freitas conduziu a partida sem grandes problemas, expulsou bem a Uilian Correia e foi prejudicado pelo Assistente José Ricardo Coimbra que marcou erroneamente impedimento no gol anulado.
 
bola murcha para o Palmeiras e para numeros que podem explicar tanto resultado ruim: contra o Vitória a equipe cruzou para a area adversária nada mais, nada menos que 40 bolas. Acreditem se quiserem (estamos falando de jogadores profissionais) destes 40 cruzamentos apenas 2 foram certos e 38 foram totalmente errados. Vamos repetir: isto vem acontecendo sempre que Egidio está em campo e ninguém enxerga para mudar ou corrigir..
 
bola murcha para Rafael Traci que no Santos 1x2 Vasco da Gama deixou de marcar penalidade máxima (mão na bola) para a equipe peixeira e que poderia ter mudado os destinos da partida. Mas independente deste fato, Bola Murcha para o Santos que também se mostra incompetente nos momentos em que precisa do resultado.
 
bola murcha, infelizmente, para o futebol pernambucano que poderá ter um fato inédito acontecendo e com o rebaixamento de suas três equipes principais: O Sport da Série A para a Série B, além de Santa Cruz e Náutico da Série B para a Série C.
 
bola murcha para o Sao Paulo 2x2 Chapecoense com o tricolor, novmente, não conseguindo manter sequencia de vitórias na competição. Primeira etapa de catarinenses mais equilibrados, muitos erros de passe no São Paulo e até mesmo uma intranquilidade que não poderia existir. Somente Hernanes jogava o mesmo futebol, calmo e tranquilo. Já na segunda etapa recolheu-se a Chapecoense tentando garantir os 2x0 conseguidos mas dando muito campo aos paulistas que meio na raça conseguiram seus gols e o empate final. Marcelo de Lima henrique teve uma arbitragem normal, marcou bem a penalidade máxima contra o São Paulo e não errou, nem seu Assistente no gol de empate tricolor. Não houve falta no goleiro e Henrique em posição de impedido recebeu a bola socada pelo goleiro para fazer o gol. Tudo normal num lance dificil...
 
 
ANTES DE CORRER, APRENDA A ANDAR. TUDO NA VIDA TEM SUA HORA, SEU LUGAR...

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440