Entrevistado do Mês Carlos Eduardo C. da Rocha (Cadu)

Carlos Eduardo CardosoNos fale onde nasceu , data do nascimento, estado civil, nome dos pais, esposa e filhos se tiver.
São Paulo, 21/02/1981 , Casado , pais Walter e Rosa , esposa Marcela , Filhos Pollyanna , Carla , Anna Laura, Pedro e Paulo Henrique.
 
Quando começou a atuar? Onde surgiu a ideia de se tornar um árbitro.... Teve apoio da família?
Comecei a atuar em jogos de finais de semana com amigos, onde apitava meio tempo e jogava meio tempo, até que me incentivaram a apitar os dois tempos e por ai foi... Minha família me apoiou, porem meu finado pai não gostou muito da ideia.
  
Onde foi seu primeiro curso e em que ano? Lembra-se de alguns companheiros que fez o curso com você?
2015 AAGSP.
 
Se tornou federado em que ano?  Já atuou?
Turma 2015/2017 , atuei no Campeonato Paulista feminino sub 17 , Festival Paulista feminino sub 14 , Campeonato Paulista sub 11/13.
 
Se lembra da sua primeira escala e quem eram seus companheiros ?
Primeira escala na AAGSP : Indiano x Corinthians com o Hemerson Nicolli e  o Lohan
Primeira escala na Federação: São Paulo x Centro Olimpico com Rudney , Adriano Stange e Bruno Gouveia.
 
O que difere um arbitro federado de um árbitro amador?
 Creio não haver muita diferença, pois todos os jogos são importantes e temos que entrar focado em nosso trabalho, seja numa competição oficial da FPF, ou jogos no amador. 
 
Qual seu maior desafio na vida profissional e pessoal?
Maior desafio em minha vida profissional é contribuir para a valorização de nossa classe, não só financeira como nas condições de trabalho. Meu maior desafio pessoal é educar meus filhos no caminho do bem e formar cidadãos com dignidade e integridade.
 
Você enfrentou a batalha da balança.... Como foi isso ?
 A luta contra a balança é diária, treino muito e mantenho uma dieta regrada.
 
Qual o fato mais engraçado que já aconteceu em campo e o mais triste  ?
O mais engraçado, foi quando um arbitro amigo meu esqueceu o tempo de jogo e deu 16 minutos de acréscimos, os jogadores das duas equipes estavam exaustos e pedindo para o jogo acabar...
Mais triste foi quando a torcida da equipe desclassificada, revoltada com a eliminação, quebrou o meu carro e atiraram bombas em nós.
 
Qual o jogo mais importante que trabalhou ate agora ?  Fez finais ?
O mais importante foi a final da Taça São Paulo Feminina sub 17 no Pacaembu entre Centro Olímpico x Guarani
 
No seu ponto de vista quais as maiores dificuldades na carreira de um árbitro?
Creio que seja a falta de respeito e cultura do nosso futebol para com a arbitragem, em alguns lugares somos tratados como bandidos. 
 
O que a arbitragem trouxe de melhor a sua vida?
Experiência de vida em geral.  
 
Em qual porcentagem a arbitragem ajuda na sua renda ?
20% 
 
Você aconselharia um amigo a ser arbitro de futebol ?
Sim, porem teria que ter muita coragem...
 
Nos conte um pouco sobre você fora do campo..
Fora de campo, tento dar atenção maior a minha família. 
 
Prato preferido.... Hobby.... Filme...
Comida Japonesa, ir à praia e passear com minha família, filme: Topa de Elite 1 e 2
 
Deixe aqui algo a ser registrado e que gostaria de postar.
Agora finalize nosso papo da maneira que melhor lhe convier e até mesmo por algo que gostaria de dizer
Gostaria de agradecer a AAGSP pela oportunidade e confiança, A dona Rita ao Marcos e a todos meus companheiros de arbitragem.

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

9390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   9390050
Work:11 3392-5440