ENTREVISTADO DO MÊS - CELSO BATTISTINI

filhos, Bernardo, Campo, completarei, bodas, casado, Agosto, Neste, esposa, nasceu, nascimento, estado, nFale-nos, civil, Nasci
Fale-nos onde nasceu, data de nascimento, estado civil, nome dos pais, esposa e filhos .

R.: Nasci no dia 17 de Agosto de 1969 em São Bernardo do Campo/SP . Neste ano completarei 25 anos de casado               ( bodas de prata ) com a mulher da minha vida .O nome dela é Cristiane e temos 2 filhos , Matheus (23 anos ) e Amanda ( 17 anos ). Meus exemplos de vida são meus pais , Severino e Leotilde.

Quando começou a atuar?

R.: Pela Associação no final de 2007 , porém sempre apitei nos campeonatos escolares onde dava aulas de Educação Física. Lá era o organizador , árbitro e mais um pouco . Isso lá pelos anos de 1992 .

Onde surgiu a ideia de se tornar um árbitro?

R.: Quando entrei na AAGSP , sinceramente foi pela necessidade financeira. Teve uma época da minha vida que perdi tudo que tinha e que  não tinha. Foi aí que resolvi investir meu tempo na arbitragem. Era muito amigo do ex árbitro Edmundo Lima Filho onde pedi uma chance e o mesmo me apresentou à AAGSP . Resumindo , é ele o culpado de tudo isso ...rsrsrs

Onde foi seu primeiro curso e em que ano? Lembra-se de alguns companheiros que fez o curso com você?

R.: Fiz meu curso no sindicato de árbitros ( SAFESP ) em 2000. Nessa turma tinha o Wagner Rizo ( só por Deus viu ) . Nossos professores: Sálvio Spínola Fagundes Filho , Edmundo Lima Filho, Almir Laguna, Alfredo Loebeling, José de Assis Aragão , Vicente Romano Neto entre outros . Deu pra aprender alguma coisa.

De que forma sua família vê este seu trabalho?

R.: Sinceramente eles acham que trabalho demais, que não tenho muito tempo com eles aos finais de semana , acham   que abuso no excesso de jogos , mas entendem quando a taxa cai na conta ... rsrsrs   e daí ficamos naquela relação    “ Entre tapas e beijos “

Lembra-se da sua primeira escala e quem eram seus companheiros?

R.: Pela associação foi no Aramaçan no Interclubes como assistente. Detalhe, de 2000 à 2007 só apitava, nunca tinha sido assistente, nem bandeira eu tinha. Aquele negócio de correr lateralmente me lascou. Enfim, sobrevivi. Me desculpe os que trabalharam comigo, mas me esqueci.

Alguma partida que queira esquecer?

R.: Graças e Deus não. Problemas dentro de campo temos que resolver, é para isso que estamos lá .E tudo se transforma em aprendizado.

Qual o fato mais engraçado que já aconteceu em campo e o mais triste?

Engraçado: Jogos da Cidade ( 2008 / 2009) sei llá . Estava eu sentado descansando, quando o árbitro que não me recordo o nome, não se entendia com o assistente Alexandre Pereira ( esse mesmo ...o FIFA ).Um marcava tiro de meta, o outro escanteio . Um lateral para um lado, outro para o outro. Pensei, isso não vai acabar bem. Qdo em um contra-ataque um marcou falta fora da área e o outro pênalti. ( aí a casa caiu ). Árbitro expulsa o assistente que sai jogando bandeirinha no chão ( circo total ) . Hoje é engraçado contar isso, mas no dia quase tivemos que sair de viatura .

Triste:
Ver um companheiro ser agredido dentro de campo e não poder fazer nada . Jogos da Cidade no Jardim São Paulo.

Qual jogo mais importante trabalhou até agora? Fez finais?

R.: Sempre tentei fazer com que o jogos mais importantes, fossem todos. Porém depois de alguns anos, acabei fazendo algumas finais: Taça São Paulo Feminina/ 2012 sub 17 ( Pacaembu ) , Taça Sâo Paulo / 2017 ( Pacaembu ), várias finais de Interclubes quase todas as categorias , Final Jogos Regionais Pindamonhangaba entre outras.

No seu ponto de vista quais as maiores dificuldades na carreira de um árbitro?

R.: Primeiramente ter tempo para poder se dedicar, depois equilibrar condição física , técnica e psicológica para resolver de maneira rápida as situações que uma partida exige.

O que a arbitragem trouxe de melhor na sua vida?

R.: Sinceramente o dinheiro é bom e bem vindo, porém as amizades é algo que levarei por resto de minha vida .

Você aconselharia um amigo a ser árbitro de futebol?

R.: Sem dúvida. Acho que todo mundo deveria ser árbitro pelo menos uma vez antes de morrer rsrsrs , esse negócio é contagiante.

Conte-nos um pouco de você fora de campo.

Pratos preferidos: churrasco , pizza e japa

Hobby: reunir a família e fazer um belo churrasco

Filme : Adoro comédias . Sou da época de Loucademia de Polícia , Corra que a polícia vem aí , Apertem os cintos ...o piloto sumiu .

Uma mania : Não saio de casa sem relógio .

Um time de futebol : O meu Soberano Tricolor

Como é fazer parte da família AAGSP à 10/11 anos?

R.: Um lugar que me identifiquei desde o começo . Fiz e faço muitos amigos , que levarei pro resto da vida.

Mais central ou assistente?

R.: Prefiro Central , mas quebro um galho como assistente.

Em que percentagem suas taxas ajudam na renda familiar?

R.: Aproximadamente uns 25%

Condicionamento físico para um Árbitro de Futebol é fundamental mesmo no amador ?

R.: Não tenho dúvida disso , por isso sempre aconselho os mais novos a se cuidarem e acompanhar os lances o mais próximo possível . Isso dá segurança a arbitragem e não deixa dúvidas às equipes. Em relação ao amador , é a mesma coisa ou pior . Ninguém quer saber , temos que acertar sempre ou na maioria das vezes.
 
Pra finalizar gostaria de agradecer a toda família AAGSP , em especial a dona Rita , seu Marcos Spironelli pelo carinho que sempre tiveram comigo .
Amo fazer esse negócio e sempre dei meu melhor por essa empresa . Por ela visto a camisa com orgulho , prazer e comprometimento .
Abraços a todos
CELSO BATTISTINI

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro

09390050

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua Luís Mariani, 46, Sala 8 Centro
Mauá,SP   09390050
Work:11 3392-5440