BOLA CHEIA - 27/08/2018

BOLA CHEIA  (pero no mucho) para o Santos que na Argentina empatou sem gols com o Independiente na partida de ida da Libertadores. Geralmente um empate fora contra os hermanos deve ser comemorado, mas numa competição atipica, onde agora qualquer empate com gols classifica o "Rei de Copas", e o que é pior sem ter chutado uma unica bola ao gol nos noventa minutos. Jogo dificil, muitas faltas fortes, 10 cartões amarelos e 1 vermelho e muito equilibrio marcaram "a briga" tão comum quando brasileiros e argentinos se enfrentam. Terminou o Peixe com 10 jogadores tendo Dodô corretamente expulso na segunda etapa. Agora somente a vitoria no Pacaembu fará o Santos seguir na competição. Muito boa arbitragem de Diego Aro, do Peru, tecnicamente bem, disciplinarmente controlando o impeto dos jogadores, sempre proximo das jogadas e sem nenhum lance de maior polemica.
 
BOLA CHEIA para o Palmeiras que contra um Botafogo desfalcado conseguiu, com dificuldades, apesar de mandar na partida nos noventa minutos,  engatar mais uma vitoria e novamente sem tomar gols (já são até aqui oito jogos, e a ultima vez foi em 1965). E finalmente o grande destaque foi para Lucas Lima que entrou na segunda etapa, fez dois gols (golaços) e decidiu a partida para o Verdão. Andersosn Daronco esteve regularmente na arbitragem, acertou ao não marcar penalidade maxima para o Palmeiras no primeiro tempo, expulsou com acerto a Moisés (Botafogo), e marcou penalidade maxima que existiu para o Palmeiras  que novamente Dudu não converteu. Foi a quinta seguida perdida pela equipe.
 
BOLA CHEIA para o Santos 2x0 Bahia onde depois de um primeiro tempo irregular de ambas equipes, voltou bem o Peixe na etapa final e liquidou a fatura. Aproveitou-se bem de um Bahia desgastado pela sequencia de jogos, jogou num 4-2-4 ousado de Cuca e fez seus gols que lhe garantiram mais tres pontinhos. O resultado fez o time praiano "fugir" na zona de rebaixamento, estando agora pouco mais "aliviado". Heber Roberto Lopes arbitrou, varios pequenos erros, mas nada que interferisse no resultado final.
 
BOLA CHEIA para o Corinthians, mas pelos pontos conseguidos e não pelo mau futebol apresentado na vitoria sobre o Paraná pela contagem minima. Futebol ruim, equipe desorganizada, e não se consegue ver perspectivas de melhoras. Pelo pouco que jogou teve sorte de ter pela frente a ultima colocada da competição, e dar uma respirada depois de acumular quatro jogos sem vitoria. É um momento muito dificil para o Timão já que se aproximam as decisões da Copa do Brasil e Libertadores. Em se tratando de Corinthians tudo é possivel, mas com o futebol que vem jogando dificilmente tera sucesso. Arbitragem de André Luis Freitas Castro sem problemas tecnicos ou disciplinares, expulsão correta de Leandro Vilela, do Paraná.
 
BOLA CHEIA para o São Paulo que, à duras penas derrotou ao Ceará no Morumbi pela contagem minima seguindo na liderança da competição. Jogo dificil, complicado para o Tricolor e com os cearenses muito bem postados defensivamente. E o Vozão depois de reagir e ficar cinco jogos sem derrota, acabou sucumbindo a toda pressão do lider e não conseguindo seu objetivo. Wagner Reway novamente mostrou-se um árbitro de baixa qualidade, confuso, sem personalidade, as vezes atrapalhado nas suas decisões e em momento algum passando confiança aos jogadores que constantemente reclamavam. Alessandro Rocha Matos marcou erradamente um impedimento do ataque do Ceará, em lance que o atacante aparecia "na cara do gol". Destaque no jogo foi o publico de mais de 57.000 pessoas que sofreram muito antes de comemorar a vitória.
 
BOLA CHEIA para o Palmeiras que mesmo com seu time reserva encarou o forte Internacional, no Beira Rio, propôs o jogo e dominou a primeira etapa onde poderia ter marcado gols. Atuando com uma defesa muito bem postada (completou nove jogos sem sofrer gols), pouco pernitiu ao ataque colorado. Na fase final melhorou o Internacional, apertou um pouco ao Verdão, mas sem que este tivesse caido de produção. No final o 0x0 acabou premiando aos dois times num grande jogo de futebol. Muito bom trabalho de Bruno Arleu Araujo na arbitragem, praticamente sem erros tecnicos e conduzindo com tranquilidade os aspectos disciplinares. Errou ao permitir que as equipes atuassem com uniformes que a todos confundiam.
 
 
"O PROBLEMA DA DECEPÇÃO É QUE ELA NUNCA VEM DE UM INIMIGO"

Fale Conosco

Segunda a Sexta - 09:00 as 18:00
Sáb. e Dom. - 07:30 as 13:30
11 3392-5440
aagsp@aagsp.com.br
Obrigado por sua visita
Volte Sempre
  

Associação de Árbitros da Grande São Paulo

Rua do Bosque, 1904

01136001

11 3392-5440

photo AAGSP - Associação de Árbitros da Grande SP
Work:
Rua do Bosque, 1904
Mauá,SP   01136001
Work:11 3392-5440